Segunda-feira, Janeiro 30, 2023
Pub

“Descomplicar a linguagem do crédito” – Avaliação do imóvel

- Publicidade -
- Publicidade -

Com o acentuar da crise económica e social a que se tem assistido, a DECO tem sido cada vez mais contactada pelos consumidores que se encontram com grandes dificuldades no cumprimento das suas responsabilidades financeiras.

Do contacto próximo com os consumidores, a DECO constata uma grande iliteracia financeira que dificulta, por um lado, a compreensão dos termos associados ao crédito e a outros produtos financeiros e, por outro lado, dificulta uma ação mais proativa por parte dos consumidores que se encontram numa situação de fragilidade financeira.

Desde modo, a partir de hoje e nas próximas quarta-feira lançamos a rúbrica “Descomplicar a linguagem do crédito”, onde serão explicadas algumas situações que têm causa mais preocupação nos consumidores.

O tema de hoje é: Avaliação do imóvel

A avaliação de um imóvel poderá acontecer por razões diversas, destacando-se as seguintes situações:

– Antes de concessão do crédito à habitação e com o objetivo de permitir ao banco a tomada de decisão sobre o montante a financiar;

– Se quiser transferir o crédito à habitação para outra instituição financeira;

– Para permuta de um imóvel por outro;

– Se pretender entregar a casa ao banco (designada “dação em cumprimento”), para liquidar o empréstimo. Mas, neste caso e dependendo da avaliação, o empréstimo pode não ficar totalmente pago;

– Numa situação de partilhas.

Antes de conceder o crédito à habitação a Instituição Financeira deve proceder à avaliação do imóvel através de perito avaliador independente, habilitado para o efeito e registado na CMVM -Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Em regra, esta avaliação é paga pelo consumidor e o respetivo duplicado do relatório e documentação devem-lhe ser entregues.

Caso não concorde com a avaliação podes apresentar ao banco reclamação escrita, devidamente fundamentada e requerer segunda avaliação.

O resultado da avaliação vai influenciar o montante de crédito a conceder, que, no caso de habitação própria e permanente não deverá ser superior a 90% do valor da avaliação. Somente se comprar o imóvel ao próprio banco, por retoma, poderá ficar isento desta comissão e obter financiamento a 100%.

Face a necessidade de entrega da casa ao banco, numa eventual tentativa de resolução de situação de incumprimento, saiba que a “dação em cumprimento” só extingue a dívida na sua totalidade se o valor da avaliação do imóvel for igual ou superior ao valor total em dívida. Caso contrário, poderá ficar com um valor remanescente a liquidar.

Em caso de dúvida, não em hesite em contactar a DECO Alentejo, através do número: 266 744 564

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

As mais vistas

- Publicidade -

Mais notícias

IPMA coloca todos os distritos em aviso amarelo por causa do frio

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou hoje todos os distritos de Portugal continental sob aviso amarelo devido à previsão de...

Vila Viçosa lançou revista cultural que “mostra a cultura, as tradições e o património” local (c/fotos)

A Câmara Municipal de Vila Viçosa apresentou, este domingo, mais um número da Revista de Cultura Callipole. A apresentação do nº28 da revista decorreu no...