Direção Regional de Cultura do Alentejo denuncia mais uma alegada destruição de um sítio arqueológico

Siteio Arqueológico destruido

A Direção Regional de Cultural do Alentejo (DRCAlentejo) apresentou no DIAP – Departamento de Investigação e Ação Penal de Évora mais uma queixa crime por afetação de Património Arqueológico na região, desta vez na Herdade da Negaça, situada no concelho de Évora, Freguesia de Torre de Coelheiros.

Segundo a informação disponibilizada, “trabalhos agrícolas, ripagens profundas e valas para condutas de rega, inerentes à plantação de amendoal intensivo, no Monte da Negaça, afetaram os sítios arqueológicos de Vale Diogo do Campo e da Serra de Espinheira 4, ambos associados ao povoamento rural do período romano.”

Essas observações foram aferidas conforme as conclusões das prospeções arqueológicas realizadas no local, na sequência de indicações da Direção Regional de Cultura do Alentejo.

A Direção Regional terá determinado em maio de 2020 a realização prévia das prospeções com vista a aferir as áreas arqueológicas a condicionar no âmbito da plantação, no entanto, a Direção Regional de Cultura afirma que “esses trabalhos arqueológicos, realizados por arqueólogo contratado pelo promotor da plantação, vieram indevidamente a ter lugar já após realizadas as movimentações de terras e instalação do sistema de rega, pelo que observaram as afetações já consumadas.”

Assim, dado não terem sido alegadamente cumpridos pelo proprietário da Herdade os termos fixados pela DRCAlentejo, entre outras entidades, para a salvaguarda do património em questão, verificando-se a sua destruição, o processo segue agora os trâmites legais para apuramento de eventual responsabilidade criminal e civil.