Vila Viçosa: Filarmónica estreou novo fardamento, que é “um virar de página na história da Sociedade” (c/fotos)

Banda Calipolense

Dando continuidade à sua atividade cultural, a Banda da Sociedade Filarmónica União Calipolense realizou, este sábado (3 de julho), um concerto em Vila Viçosa.

O concerto realizou-se na Igreja de São Bartolomeu, tendo sido antecedido por uma pequena arruada, num dia em que foi estreado o novo fardamento, que recentemente foi oferecido pela Câmara Municipal de Vila Viçosa.

Neste concerto, os músicos da Filarmónica Calipolense interpretaram várias peças sob a batuta do Maestro José Leitão.

ODigital.pt falou com Ana Piçarra Rego, presidente da Direção da Sociedade Filarmónica, que afirmou ser “um virar de página na história da Sociedade”, a estreia deste novo fardamento, acrescentando que “é o renovar da nossa imagem e esperamos que seja daqui para a frente só vitórias que possam engrandecer a nossa associação, e que isto seja só o começo de uma nova era”.

Ana Piçarra Rego falou sobre o fardamento, explicando que “a nossa primeira ideia foi manter a cor, o azul, que é a cor da nossa associação e é a cor de Vila Viçosa, embora tenhamos gravatas com um azul mais vivo, mas tentámos alegrar as nossas fardas. Depois temos o nosso logotipo que foi alterado, em que mantivemos a lira e Nossa Senhora da Conceição”, referindo também que “é muito importante para além de darmos boa música, darmos uma boa imagem de nós e até do concelho, e estas novas fardas vêm complementar esse aspeto”, pois “tentámos escolher o que achávamos mais bonito e adequado para representar bem Vila Viçosa quando sairmos das fronteiras do concelho”.

O novo fardamento foi oferecido pela Câmara Municipal de Vila Viçosa, tendo Ana Rego dito que “é muito importante para nós o apoio do município, o apoio das juntas de freguesia e o apoio de outras entidades, porque é um pilar para nós, e especialmente agora neste tempo de pandemia em que não temos qualquer atuação remunerada e se não houver este apoio é muito complicado, e neste caso, mandar fazer as fardas e um guião é muito caro e a Sociedade não conseguia sozinha, portanto, foi uma ajuda muito importante do município”.

Já sobre a motivação notória dos músicos, a presidente da Direção disse que “nós temos tentado motivar ao máximo as pessoas, e às vezes o motivar não é só dizer para virem, nós temos tentado que eles tenham tudo aquilo que necessitam para tocar e temos tentado manter as condições necessárias para poderem tocar sem despenderem de dinheiro.”

Fique de seguida com as imagens deste concerto, numa reportagem de Hugo Calado: