Vila Viçosa: Câmara avança com diagnóstico ao património para delinear estratégia de reabilitação

Tiago Salgueiro

A Câmara Municipal de Vila Viçosa iniciou, recentemente, um trabalho de levantamento e diagnóstico dos principais problemas apresentados pelo património histórico desta vila do distrito de Évora.

A informação foi avançada a’ODigital.pt pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa, Tiago Salgueiro, que referiu que “iniciámos recentemente a realização de visitas técnicas a vários imóveis históricos do concelho, no sentido de desenvolver algumas memórias descritivas, que nos permitam avançar com a elaboração de projetos, para depois se avançar com a reabilitação dos imóveis”.

O autarca disse-nos que “as visitas técnicas iniciaram-se pela Igreja da Lapa, onde fomos recebidos pelo tesoureiro da Irmandade da Lapa, Pedro Pinto, tendo sido identificados os principais danos que neste momento afetam o edifício, de modo a tentarmos encontrar uma solução e uma estratégia que permita a sua valorização”, acrescentando que “neste caso a Irmandade da Lapa já tinha identificado alguns dos principais problemas, que passam sobretudo pelas coberturas, sendo que há uma grande infiltração que no fundo acaba por afetar o restante património integrado.”

Sobre o monumento visitado, Tiago Salgueiro disse que “o templo da Lapa, é um templo importante, é o último edifício religioso que foi construído aqui em Vila Viçosa pelo risco do arquiteto José Francisco de Abreu, um arquiteto elvense que tem obra significativa aqui no Alentejo durante esse período

Já sobre o diagnóstico que vai ser feito ao património histórico calipolense, Tiago Salgueiro frisou que “a nossa ideia é neste momento fazer o diagnóstico inicial, para depois podermos então avançar com uma estratégia mais bem definida, que permita depois também orçamentar e perceber para onde é que se pode avançar e quais são as prioridades, sendo que o trabalho que vamos fazer com as visitas é a definição de um anteprojeto”.

Temos uma estratégia bem definida ao nível do património, mas primeiro é preciso conhecer quais são os principais problemas, para depois então poder avançar e este diagnóstico é absolutamente fundamental”, salientou.

O vice-presidente da autarquia deixou claro que “a Igreja de Lapa é aquela que neste momento necessita de uma intervenção mais urgente,  é necessário colocar também os tirantes no edifício, porque de facto há ali problemas estruturais que são graves, mas temos outros exemplos em Vila Viçosa como é o caso da Ermida de São Bento, de São Domingos, Nossa Senhora do Paraíso, Santo António e atenção não falamos só da parte estrutural, porque há também o património integrado que passa pelos retábulos, pelos azulejos, pelas pinturas murais, mas se nós não avançarmos prioritariamente na consolidação da parte estrutural dificilmente conseguiremos chegar ao restante património que aí se encontra”.

É ideia da autarquia “avançar continuamente ao longo do nosso mandato com o levantamento das patologias dos diferentes espaços mais emblemáticos de Vila Viçosa, para poder propor a sua reabilitação, até porque a ideia não é só reabilitar, mas no fundo propiciar o usufruto público e criar algumas rotas ao nível do turismo religioso aqui em Vila Viçosa”.

Questionado sobre se os diagnósticos a ser realizados se destinam a integrar possíveis candidaturas a fundos comunitários, Tiago Salgueiro confirmou, dando os exemplos dos “concelhos vizinhos que já têm alguma estratégia a esse nível, como é o caso das recuperações de alguns espaços nomeadamente Viana do Alentejo, agora recentemente também Juromenha e realmente a nossa ideia é avançar com uma estratégia nesse sentido, porque estes espaços precisam de ser valorizados”.

Tiago Salgueiro concluiu dizendo que “não vale a pena só intervir, é preciso intervir para criar condições de abertura ao público no futuro e é esse o trabalho que nós estamos a fazer neste momento.”