Quinta-feira, Maio 23, 2024

Vila Viçosa: A comemorar o 25 de abril, autarca alerta que “é necessário estarmos atentos”

- Pub -

Celebram-se os 50 anos de 25 de abril, dia conhecido como a Revolução dos Cravos, que retirou Portugal do regime de ditadura.

A comemoração deste ano é especial porque completam-se 50 anos desde esse evento histórico liderado por um grupo de jovens capitães militares que deram um golpe de Estado, derrubando o regime que dominava Portugal há mais de 40 anos. Tudo foi feito em 24 horas, sem disparos de armas ou baixas mortais.

Por todo o Alentejo se celebra este facto histórico. Em Vila Viçosa, a autarquia em conjunto com várias entidades do concelho delineou um conjunto de atividades para assinalar o aniversário da Revolução.

Em declarações a’ODigital.pt, o presidente da Câmara de Vila Viçosa, Inácio Esperança, referiu que “celebrar este dia significa, no fundo, a liberdade, a liberdade aos mais vários níveis, desde a expressão, até à reunião, à liberdade de escolher o próprio futuro e decidir aquilo que quer ser. A liberdade de escolha que de facto não existia, a liberdade de votar, a liberdade de escolher quem nos governa.”

Inácio Esperança alerta que “a democracia não é um dado adquirido e, de facto, muitas das conquistas de Abril, que com o tempo, embora usufruamos delas, pensamos que são garantidas e se não trabalharmos para que elas frutifiquem, podem de facto nos ser retiradas e é necessário estarmos atentos.”

“É necessário apelar aos jovens que intervenham civicamente, politicamente, para que os ideais de Abril não morram. O mais importante não é o resultado do 25 de Abril, é o processo que levou à Constituição do 25 de Abril. A revolução do 25 de Abril foi um processo de muitos anos, com muito sofrimento, com muita necessidade, com muitas limitações e que levou, de facto, as pessoas a sentir a necessidade de mudar o regime”, frisou.

O edil afirmou ainda que “é importante pensar a região administrativa se queremos ou não efetivamente as regiões. Se não as quisermos, temos que alterar a Constituição. Mas estar na Constituição e não estar cumprida é mau. É um órgão regional, um órgão intermédio que faz falta para o desenvolvimento das regiões e penso que era importante, principalmente para uma região como o Alentejo, que tem pouca população e muito território”

Já sobre as comemorações do 25 de abril em Vila Viçosa, o autarca revelou que “vão durar até dezembro, pois, amos ter algumas ações durante todo o ano para relembrar Abril,

De salientar que na noite de 24 de abril, atuou em Vila Viçosa o cantor Buba Espinho, seguindo-se à meia noite um espetáculo de fogo de artificio.

- Pub -

Também pode gostar

- Pub -

Últimas Notícias

Beja: CCDR inaugura novas instalações dos Serviços Regionais do Baixo Alentejo

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo vai inaugurar na sexta-feira, às 11:00, as novas instalações...