Vendas Novas: “O regime de ensino à distância é uma medida que poderia impedir o contágio”

Crianças infetadas

O Município de Vendas Novas voltou, esta semana, a insistir no ensino à distância de forma a combater a pandemia da Covid-19.

A Autarquia voltou a manifestar-se a favor da suspensão do ensino presencial, esta semana junto da Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, em reunião virtual que decorreu, com os Municípios do distrito de Évora, através da CIMAC.

Na reunião, a Ministra pediu a sensibilidade de cada Município sobre o impacto das medidas levadas a cabo pelo Governo no combate à pandemia, tendo a Vice-presidente da Câmara Municipal de Vendas Novas, Elsa Caeiro, reforçado a importância do encerramento das escolas e do ensino à distância para todos os ciclos, como medida que permite resguardar toda comunidade educativa.

Essa posição, a da suspensão do ensino presencial, foi assumida pelos restantes Municípios presentes na reunião, o que, esperamos, consiga exercer um maior peso junto do Governo.

A Autarquia de Vendas Novas relembra que “a nível local, através de decisão da Comissão Municipal de Proteção Civil de 4 de janeiro, já tinha sido feito esse pedido à Direção Geral da Saúde e da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares, não tendo o Município, até ao momento, recebido qualquer resposta.”

O pedido teve como base os considerandos:

– Vendas Novas tem revelado um aumento exponencial no número de infetados por SARS-COV-2;

– Muitos agregados familiares registam casos ativos e situações de isolamento;

– A comunidade escolar mostra preocupação neste regresso à escola no atual contexto local;

– O Agrupamento de Escolas de Vendas Novas viu autorizado o regime de ensino à distância para o 3º ciclo e secundário no início do 2º período letivo;

– O Colégio Laura Vicunha também obteve autorização para que os seus alunos de 1º, 2º e 3º ciclo iniciassem o 2º período com ensino à distância;

– O Município tem meios e condições para garantir o ensino à distância dos alunos do 1º ciclo do ensino básico do Agrupamento de Escolas;

– O Município e Agrupamento de Escolas conseguem, à semelhança do que aconteceu no passado ano letivo, acolher presencialmente os alunos cujos encarregados de educação sejam profissionais de saúde, de socorro, de forças de segurança ou de instituições com resposta de estruturas residenciais de pessoas idosas e creches;

A Edilidade termina a nota enviada à nossa redação dizendo que “preocupa-nos o contexto pandémico atual vivido no Concelho e, por isso, considera-se que o alargamento do regime de ensino à distância para os alunos do Agrupamento de Escolas de Vendas Novas é uma medida que poderia impedir o contágio e garantir maior proteção à comunidade local.”