Vendas Novas: Ministra da Cultura diz que “temos de conseguir, mantendo esta ligação às pessoas, ter novos usos” nas bibliotecas (c/som)

Decorreu esta segunda-feira, 3 de Fevereiro, na Biblioteca Municipal de Vendas Novas, a cerimónia de inauguração do “Espaço Cidadão”, cuja cerimónia contou com a presença da Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, e da Ministra da Cultura, Graça Fonseca.

Em declarações à imprensa, a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, começou por referir a criação destes espaços de cidadão no interior das bibliotecas “é um caminho que parece muito bom para a rede espaço cidadão e para a rede das bibliotecas públicas”, referindo que “na altura e por iniciativa da própria da Direcção-Geral que tem a área das bibliotecas, que iniciou um projecto de ter as bibliotecas para usos diferentes daquilo para que foram originalmente criadas, que é precisamente projectos na área do livro, mas hoje em dia, de facto a forma como as novas gerações utilizam os conteúdos da biblioteca mudou muito. A forma como acedemos à imprensa, à musica e até mesmo aos livros, e portanto temos de ter a capacidade de perceber de que uma rede com a dimensão da rede de bibliotecas, que tem instalações extraordinárias, em quase todo o pais, tem uma capilaridade como poucas redes têm na área da cultura, que é muito utilizada pelas pessoas e em muitos locais o numero de pessoas que utiliza a biblioteca não diminuiu assim tanto.”

Graça Fonseca salienta que “temos que conseguir, mantendo esta ligação às pessoas, ter novos usos que no fundo criem sinergias novas e aqui a localização do espaço do cidadão é um dos usos mais importantes. É um local onde muitas pessoas vão para renovar o cartão do cidadão, ou a carta de condução ou outros serviços, tem esta dimensão das pessoas irem, porque querem ter um contacto com alguém que os possa ajudar, e se nós podermos ter alguém que renova o cartão do cidadão e depois quando sair vai requisitar um livro para levar para casa, será evidentemente uma sinergia muito importante.”

A Ministra da Cultura conclui dizendo que “nunca podemos esquecer que a realidade social, demográfica muda ao longo das gerações e nós temos de ter a capacidade de adaptar as redes de equipamentos aquilo que é a nova procura”.