Vendas Novas inaugurou “Espaço do Cidadão”, que vai melhorar os “serviços públicos e também o aumento da oferta e a promoção da leitura”, refere o autarca (c/som e fotos)

Presidente de Vendas Novas

Decorreu esta segunda-feira, 3 de Fevereiro, na Biblioteca Municipal de Vendas Novas, a cerimónia de inauguração do “Espaço Cidadão”, cuja cerimónia contou com a presença da Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, e da Ministra da Cultura, Graça Fonseca.

Uma cerimónia que contou ainda com cante alentejano, uma tuna sénior e ainda com um conjunto de crianças que falou sobre as valências deste espaço do cidadão.

Em declarações à imprensa, Luís Dias, Presidente da Câmara Municipal de Vendas Novas refere que a abertura deste espaço é “mais do que um investimento que é feito em números financeiros, é a mais valia que este investimento traz para as pessoas do concelho de Vendas Novas”, acrescentando que “iniciar o ano de 2020 desta forma, é um marco e um sinal de que estamos cá para servir e servir bem.”

Sobre o protocolo de permite o funcionamento deste espaço, Luís Dias salienta que o “investimento que está aqui implementado, ele é repartido pelas entidades que coordenam este projecto, a Agência para a Modernização Administrativa, também a Direcção-Geral do Livro e Bibliotecas e também pela Câmara Municipal, a quem fica a cargo a manutenção do espaço e também os recursos humanos para prestar este serviço”, referindo ainda que “os recursos humanos já existem, portanto não há acrescimentos de valor, há um acrescimento de serviço que é também na óptica de rentabilização dos colaboradores que temos e qualidade que eles têm para prestar serviços.”

Questionado se esta abertura significa já uma transferência de competências do estado central para a autarquia, o edil afirma que “não há aqui uma transferências de competências, este protocolo que foi estabelecido é de colaboração exclusivamente para este serviço, funciona no fundo como funcionava as lojas do cidadão e outros espaços do cidadão, a diferença é que é numa biblioteca pública, somos o 5º município do pais a ter este serviço numa biblioteca, numa óptica de rentabilizar as bibliotecas, trazer mais gente às bibliotecas, fomentando duas coisas, melhores serviços públicos e também o aumento da oferta e a promoção da leitura.”

Sobre os serviços prestados, o autarca adianta que “neste espaço do cidadão vamos ter 60 novos serviços que não tínhamos em vendas Novas, representando 15 entidades distintas.”