Vendas Novas: Inaugurada fábrica de “bolinhos chineses”, após investimento de 2,5 M€ e que emprega 40 pessoas

Resultado de um investimento de cerca de 2,5 milhões de euros, a empresa “Jiawei Alimentação” inaugurou, esta quarta-feira, uma unidade de produção em Vendas Novas, no distrito de Évora.

Segundo a informação que nos chegou, trata-se de uma empresa do setor alimentar que se dedica à produção de Crystal Dumpling, os tradicionais “bolinhos chineses” feitos com uma massa de pão muito fina e recheados com vários sabores (camarão, carne), para serem cozidos ao vapor.

Ainda segundo a informação disponibilizada, todo o processo de produção é feito nesta unidade, desde a receção da matéria-prima (que é comprada quase na sua totalidade em Portugal), à confeção do recheio e da massa, embalamento e armazenamento a frio (congelação). Posteriormente o produto é carregado em camiões frigoríficos com destino a França, onde são distribuídos por toda a Europa. Toda a produção é destinada à exportação.

A laborar desde o início de julho, dá trabalho a cerca de 40 pessoas, a maioria de Vendas Novas, e espera em breve aumentar este número pois irá iniciar a confeção de um outro produto.

A Jiwaei Alimentação investiu cerca de 2.5 milhões de euros nestas instalações, sendo uma empresa de capital 100% chinês proveniente de cinco sócios, dos quais dois residentes em Portugal e três em França. É a quinta fábrica do grupo, sendo as restantes em França, China, Hungria e Espanha.

Durante a visita, o Presidente Luís Dias, parabenizou a administração e aproveitou para referir que “a empresa é o perfeito exemplo que a economia não está parada, apesar dos constrangimentos trazidos pela pandemia, pois não receou concretizar o seu projeto e iniciar produção, apostando na contratação de mão-de-obra, em instalações novas e no desenvolvimento local.”

Referiu ainda que “faz parte da estratégia do Município apostar na atração de investimentos de vários sectores de atividade, mantendo a tradição da fileira automóvel e da cortiça, mas diversificando para outras áreas económicas que não tinha até então e que podem trazer mais-valias, quer ao nível da qualificação de postos de trabalho, quer na captação de outras indústrias secundárias agregadas a estes setores.”