Universidade de Évora será sede da maior unidade de investigação nacional, com foco na agricultura, ambiente e desenvolvimento

Universidade de Évora

O ICAAM – Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas, deixou esta semana de existir para se juntar ao Cebal (Beja), MeditBio (Universidade do Algarve) e Cibio-Évora (Universidade de Évora) passando a constituir o MED – Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento/Mediterranean Institute for Agriculture, Environment and Development.

De acordo com a informação que nos chegou, o instituto agora criado, com sede na Universidade de Évora e pólos em Beja e na Universidade do Algarve, “contará com cerca de 320 investigadores, dos quais 170 investigadores doutorados e 64 alunos de doutoramento.”

O MED trata-se da maior unidade de investigação nacional “a trabalhar temas que integram a agricultura, a alimentação, o ambiente e o desenvolvimento rural. Um dos objectivos do MED é desenvolver investigação cujas questões partem de problemas que se colocam na prática e, sobretudo, às que se relacionam com a nova realidade face às alterações climáticas”, refere a nota enviada à nossa redacção.

Deste instituto vão fazer parte Investigadores experientes, especialistas em sistemas produtivos e ecossistemas do Mediterrâneo com equipas multidisciplinares que actuam nas áreas da conservação dos recursos, das alterações climáticas, na agricultura e no território, na biotecnologia, entre outras.