Universidade de Évora lançou Cátedra de Estudos Ibéricos da Península

Universidade de Évora lançou Cátedra de Estudos Ibéricos da Península

No passado dia 1 de outubro, a Universidade de Évora (UÉ) lançou a primeira Cátedra de Estudos Ibéricos da Península.

Com esta Cátedra pretende-se ser uma unidade de investigação e transferência do conhecimento nesta área e promover o diálogo cultural e as relações entre Portugal e Espanha.

A assinatura pública do memorando decorreu na Sala dos Docentes e contou com as intervenções da Reitora da UÉ, Ana Costa Freitas, da Diretora-Geral de Ação Externa da Junta de Extremadura, Rosa Balas Torres, do Diretor-Geral do El Corte Inglês, Enrique Hidalgo, do Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, Roberto Pereira Grilo e vários representantes da embaixada de Espanha em Portugal.

António Saez Delgado, Professor do Departamento de Linguística e Literaturas e reputado especialista nas relações culturais e literárias no espaço ibérico explicou que “a criação da Cátedra vem dar resposta a uma necessidade de reunir diferentes vozes e visões críticas, em termos de investigação, sobre a realidade ibérica.”.

A principal missão da cátedra passa por promover a cidadania, o convívio e o diálogo “das culturas ibéricas no plural, mantendo o respeito pela idiossincrasia de cada espaço cultural.” e preservando “esse valor da diferença que faz com que a península tenha o imenso valor cultural que tem.”, adianta o Professor do Departamento de Linguística e Literaturas. Com esse objetivo, a Cátedra assentará em 2 pilares essenciais. O primeiro é a investigação, através da dinamização de projetos, colaborações com outras instituições de prestígio, ou publicações que fomentem um diálogo ibérico enriquecedor, e o segundo é a divulgação, através realização de congressos, colóquios, conferências e formações online que celebrem e representem os vários âmbitos linguísticos e culturais da Península.

A reitora da UÉ sublinhou durante a sua intervenção que “esta nova estrutura tem como finalidade transformar-se num centro de excelência internacional promotor e difusor, de um ponto de vista cultural, do diálogo entre Portugal e Espanha, difundindo o respeito pela pluralidade cultural peninsular.” Já a Diretora-Geral de Ação Externa da Junta de Extremadura, considerou a criação desta Cátedra como uma clara intenção “para continuar a aprofundar o conhecimento mútuo” e “criar um espaço de debate e de formação transfronteiriça de âmbito cultural, mas também económico”.

Esta é uma forma de retribuir à sociedade portuguesa tudo o que já foi dado a Espanha” destacou Enrique Hidalgo Diretor-Geral do El Corte Inglês, que olha para a iniciativa como uma “oportunidade de ouro” para apostar na formação e realizar um “investimento lucrativo para o futuro de Portugal e Espanha”, opinião partilhada por Roberto Grilo que expressou ainda o orgulho da CCDR em apoiar a cátedra que se alinha com os objetivos da Comissão de “construir e cimentar pontes de aproximação dos povos ibéricos, na já longa história e experiência de colaboração transfronteiriça”.

A iniciativa conta, ainda, com o apoio manifesto de várias instituições culturais nacionais de reconhecida importância, como a Fundação José Saramago, na pessoa da sua presidente, Pilar del Río, a Casa Fernando Pessoa, na figura da sua diretora, Clara Riso, e a Organização dos estados Ibero-Americanos na pessoa na sua diretora em Portugal, Ana Paula Laborinho. Além destas, a Cátedra conta já com o apoio da Junta de Extremadura, mecenas da iniciativa.

Fonte: Universidade de Évora