Universidade de Évora envolvida em projeto para reter tóxicos de efluentes mineiros

Universidade de Évora

O Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) e a Universidade de Évora desenvolveram um projeto para testar a eficiência de vários tipos de geomateriais na retenção de tóxicos presentes em efluentes mineiros, responsáveis pela contaminação de cursos de água.

Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, o IPCB refere que é um dos vencedores da terceira edição do Programa PROMOVE, ao qual apresentou, na categoria de projetos-piloto inovadores, o projeto “Avaliação de alternativas de remediação de massas de água afetadas por drenagem de mina, através da utilização de geomateriais”.

“O objetivo do projeto, liderado pelo politécnico albicastrense e em consórcio com a congénere eborense [Universidade de Évora], passa por testar a eficiência de vários tipos de geomateriais na retenção de catiões metálicos, elementos tóxicos presentes em efluentes mineiros, responsáveis pela contaminação de cursos de água e aquíferos subterrâneos”, lê-se na nota.

A coordenação do projeto esteve a cargo da docente da Escola Superior de Tecnologia (EST) de Castelo Branco Maria Teresa Albuquerque e integrou outros investigadores do Grupo de Monitorização e Remediação Ambiental do Instituto de Ciências da Terra.

“Para além dos ensaios em sistemas hídricos da faixa piritosa ibérica, a qual abrange Alentejo e Andaluzia, o projeto contempla a construção de um modelo holístico com vista a reabilitar a água superficial nesta região transfronteiriça, muito afetada por drenagens ácidas com elevados teores em metais tóxicos, baseando-se para isso em sistemas de informação geográfica e em técnicas da estatística espacial e geoestatística”, refere.

Criado em 2018 pela Fundação La Caixa e pelo BPI, o programa PROMOVE visa estimular iniciativas inovadoras em domínios estratégicos para o desenvolvimento sustentável das zonas de fronteira do interior de Portugal, em particular as áreas correspondentes às regiões do Alto Tâmega e Trás-os-Montes, Beira Interior e Alentejo raiano, e que sejam replicáveis em territórios com características semelhantes.