Quinta-feira, Dezembro 8, 2022
Pub

Unidades turísticas no Alentejo “quase” esgotadas para Natal e Ano Novo

- Publicidade -
- Publicidade -

As unidades turísticas do Alentejo estão “quase” esgotadas para o Natal e Ano Novo e só a pandemia de covid-19 poderá “travar” este crescimento, disse hoje o presidente da Entidade Regional de Turismo (ERT), Vítor Silva.

“O ponto da situação, neste momento, é que está quase tudo esgotado”, afirmou à agência Lusa o responsável da Turismo do Alentejo e do Ribatejo.

Segundo Vítor Silva, têm existido “algumas desistências”, mas estas “têm sido supridas por outras reservas”, para o mesmo período festivo.

“Não tenho nenhuma bola de cristal, não sei o que se vai passar”, mas, “se o Natal e o Ano Novo fossem agora, nestes dias, o Alentejo estava quase a topo”, sublinhou ainda o responsável.

As unidades turísticas da região registam nesta altura um elevado número de reservas, com destaque para os turismos rurais, espaços onde o risco de ocorrerem desistências de última hora é diminuto.

Aí, “é que não vai haver mesmo desistências, porque há grupos mais numerosos de amigos e de famílias que reservam um turismo rural todo e essas pessoas não vão ter a preocupação de estarem juntas com outras pessoas”, disse Vítor Silva.

Em 2019, o Alentejo teve pela frente o “melhor ano turístico de sempre”, mas, devido à pandemia de covid-19, em 2020, “caíram extraordinariamente” as reservas nas unidades hoteleiras para a época do Natal e Ano Novo.

“Se o Governo e a Direção-Geral da Saúde (DGS) não impuserem medidas mais drásticas” ligadas à pandemia, “as quais não são previsíveis, mas não são impossíveis, e se as coisas se mantiverem como estão”, o panorama no Alentejo vai ser “muito bom, tanto no Natal como na passagem do ano”, declarou.

Vítor Silva explicou ainda que, nesta altura do ano, as unidades turísticas vivem “fundamentalmente” do turismo nacional, não sendo previsível, nesta época festiva, a vinda “em número significativo” de turistas estrangeiros.

“O turismo estrangeiro já estava a recuperar”, até finais de setembro, embora a região estivesse com “um terço” de visitantes internacionais face ao mesmo período de 2019, pelo que ainda tem “muitíssimo para recuperar”, observou.

O presidente da ERT do Alentejo e do Ribatejo destacou ainda que, em tempos de pandemia, tem sido o turismo nacional a dar uma resposta “muito superior” à esperada e que tem “aguentado muito” o turismo no Alentejo.

“De tal modo que, até ao final de setembro, comparando esses nove meses [do ano] com os meses homólogos de 2019, já recuperámos em termos de proveitos em cerca de 84%”, fazendo do Alentejo a região do país que “mais recuperou”, frisou.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

As mais vistas

Mais notícias

Vila Viçosa: Apesar da chuva centenas de pessoas celebraram o Dia de Nossa Senhora da Conceição (c/fotos)

Na manhã desta quinta-feira, 8 de Dezembro, celebrou-se no Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição, em Vila Viçosa, Eucaristia da Solenidade da Imaculada...

Assembleia Municipal de Castro Verde aprova desagregação de união de freguesias

A Assembleia Municipal de Castro Verde (Beja) aprovou, “por unanimidade e aclamação”, um parecer que defende a desagregação da União de Freguesias de Castro...