Teatro musical em destaque no Festival de Música Contemporânea de Évora

Musica contemporanea Évora

Um espetáculo de teatro musical, com a participação de um coro comunitário, é um dos destaques do programa do Festival de Música Contemporânea de Évora, que se realiza este mês na cidade alentejana, foi hoje divulgado.

Intitulado “Bartolomeu, o voador”, uma homenagem ao sacerdote e inventor Bartolomeu de Gusmão e ao escritor José Saramago, o espetáculo, da autoria do compositor Jaime Reis, está marcado para o próximo dia 16, às 17:00, na Arena d’Évora.

Para além desta peça de teatro musical comunitário, o Festival de Música Contemporânea de Évora, que decorre entre os dias 15 e 17 deste mês, inclui também na sua programação quatro concertos e uma residência artística.

Organizado pela Escola de Artes da Universidade de Évora e pelo Festival DME – Dias de Música Eletroacústica, o evento vai para a sua 3.ª edição, pois esta é a nova designação do anteriormente denominado Festival 20.21 – Évora Música Contemporânea.

Segundo a organização, a interpretação da peça de teatro musical envolve um coro comunitário, constituído por elementos do Coral de Évora e do Coro da Universidade de Évora e alunos do Conservatório Regional de Artes do Montijo.

Com direção musical do maestro Pedro Nascimento e encenação de Paulo Alves Pereira, o espetáculo conta ainda com uma equipa artística composta por alunos e professores na Escola de Artes da Universidade de Évora.

A maioria dos espetáculos do festival vai decorrer no Colégio Mateus d’Aranda, onde funciona a Escola de Artes da Universidade de Évora, e a peça de teatro musical é o único evento que, pelas suas dimensões, se realiza na Arena d’Évora.

Com cerca de duas dezenas de músicos, que vão apresentar obras de compositores e intérpretes nacionais e internacionais, o festival promete refletir “o caráter abrangente da música erudita contemporânea, cujas raízes mais próximas se encontram na música do século XX”, assinalou a organização.

A abertura do festival, no dia 15, está a cargo do Síntese — Grupo de Música Contemporânea, enquanto, no dia seguinte, para além do teatro musical, está também prevista uma atuação do ensemble residente do festival DME.

Segue-se, no dia 17, um concerto com o compositor Pedro Latas e o encerramento do festival, nesse dia, está a cargo do Quarteto Diotima.