Setor das touradas manifesta-se esta 5ªfeira e afirma estar a ser alvo de um “ataque acintoso”

Protesto das touradas

A PROTOIRO, Federação que representa o setor da Tauromaquia, repudia profundamente a Resolução do Conselho de Ministros, publicada este sábado, que reabre o setor da cultura, mas exclui a abertura da cultura tauromáquica. 

Para a Federação, “trata-se de uma discriminação inaceitável e arbitrária em relação às outras áreas culturais, repetindo o ataque acintoso do ano passado, aquando da reabertura dos espetáculos culturais.”

“Este é mais um dos reiterados atos discriminatórios do governo para com os aficionados e o setor da tauromaquia, impedindo o trabalho e sustento de muitos milhares de pessoas que dependem deste setor, que já se encontram em situações muito difíceis”, acrescentam ainda os representantes do setor.

Consideram ainda os Taurinos que “nenhuma razão pode justificar esta situação. A cultura é segura e em 2020 a tauromaquia mostrou, com elogio das autoridades, o cumprimentos das normais da DGS específicas do setor, que são ainda mais exigentes que noutros espetáculos, não tendo existido nenhum foco de contágio em corridas de toiros.”

Para os Tauromáquicos “é o cúmulo do absurdo, a praça de Toiros do Campo Pequeno reabre para dar concertos, mas a mesma praça não pode realizar o fim para que foi construída, dar corridas de toiros!”

“Já existem normas da DGS para o setor há quase um ano, pelo que o setor esta pronto a retomar a sua atividade, como acontece com as restantes áreas culturais, seguindo as normas vigentes”, garante ainda a Federação Prótoiro.

Neste sentido, a Federação Prótoiro convocou um protesto em frente ao Campo Pequeno, para esta quinta-feira-feira, às 11h.