Revista norte-americana Forbes dá grande destaque ao Alentejo, um “cenário variado e atraente”

Um Olhar sobre o concelho

Saiu ontem, 31 de Julho, um artigo que promove o Alentejo na conceituada revista Forbes.

Neste artigo são abordados vários aspectos sobre o Alentejo desde o alojamento, gastronomia, praia, traição e claro, as suas gentes!

O artigo começa por elogiar o “ritmo vagaroso” e ainda o “cenário variado e atraente – campos de trigo, quilómetros de praias brancas quase desertas na costa oeste, cidades muradas com castelos e ruínas romanas, colinas pontilhadas de sobreiros, oliveiras e vinhas”.

O artigo, assinado por Laurie Werner, destaca a Comporta, aborda a ligação de Christian Louboutin a esta área, referindo ainda os alojamentos e espaços gastronómicos que pode encontrar num local que ganhou dimensão mundial recentemente através dos passeios a cavalo de Madonna.

Sobre Évora é logo puxado a destaque o Templo de Diana, numa “cidade medieval designada pela UNESCO com muralhas do século XIV que é uma das mais belas da região. No centro está uma inconfundível ruína romana datada do final do século II ou início do século III, composta por 14 colunas coríntias de mármore de Estremoz e conhecida como o Templo de Diana”.

Não é esquecida a Capela dos Ossos, “contendo 5.000 crânios e ossos, escavados sob as ordens de três monges franciscanos do século 17 de cemitérios transbordando nas proximidades (e possivelmente também fazem com que os paroquianos reflitam sobre a natureza transitiva da vida.)”.

Neste artigo realça-se ainda de que “vale a pena visitar o Cadaval Palace, a casa da duquesa de Cadaval e a sua família, para admirar os azulejos da igreja do palácio. E há um restaurante relaxante nas proximidades para o almoço, que é um clássico na cidade há décadas, O Fialho para a pata negra, a versão portuguesa do presunto ibérico da Espanha”.

O mármore em Estremoz é seguidamente valorizado, com puxada a primeira menção do “seu castelo do século XIII no topo da colina, as suas ruas estreitas ladeadas por laranjeiras e sua cena gastronómica – há vários bons restaurantes aqui (particularmente Mercearia Gadanha), bem como um abrangente mercado de alimentos / agricultores na praça da cidade – com um mercado de pulgas ao lado – aos sábados”.

Num roteiro alentejano não podia faltar Reguengos de Monsaraz, chamada de “cidade medieval caiada”. “A reserva antecipada também é necessária para São Lourenço do Barrocal, uma propriedade agrícola perto da cidade medieval caiada de Monsaraz, que está na família de José Antonio Uva há 200 anos, mas foi habitada desde a Idade do Bronze e do Ferro. Um membro da oitava geração da família, ele teve a ideia de restaurar a fazenda, a razão pela qual você foi recebido por alguns de seus 220 animais enquanto dirigia, e criou um ambiente de paisagem rural com 24 quartos modernos para hóspedes na propriedade de 1927 acres, um projeto que ganhou o Prêmio Pritzker de arquitetura”, escreve Werner na Forbes.

O artigo pode ser lido na íntegra aqui https://www.forbes.com/sites/lauriewerner/2019/07/31/the-alentejo-is-the-new-region-to-go-to-in-portugal/?fbclid=IwAR0uYEzThjME0PpDP_UUjNhMXPfD0iKkZyZ4CUqfH4kF3rc4tWmnsgb6D_M#67e9f4414432