Reguengos de Monsaraz: “Foi uma situação de enorme gravidade num lar”, “mas não significa uma situação generalizada”, afirma Primeiro-Ministro

António Costa anuncia medidas

O Primeiro-ministro, António Costa, falou esta tarde em Loures sobre o surto registado em Reguengos de Monsaraz afirmando que “foi uma situação de enorme gravidade”, mas “não significa uma situação generalizada no conjunto do território.”

António Costa falava à comunicação social no final da reunião com os autarcas e outros responsáveis locais sobre a evolução recente da situação epidemiológica nos concelhos mais afetados pela Covid-19 na área metropolitana de Lisboa.

Questionado sobre Portugal estar na lista vermelha de muitos países que desaconselham viagens para Portugal devido à pandemia, António Costa afirmou que “É injusto! Parece que estamos em risco generalizado”, algo que diz não estamos dando mesmo o exemplo de Reguengos de Monsaraz.

Costa para indicar que não estamos em risco generalizado, deu o exemplo do surto de Reguengos de Monsaraz, dizendo que actualmente há “focos muito localizados em locais que seriam de risco acrescido como é os lares, o que é uma situação particularmente preocupante porque se trata de população de elevado risco, tendencialmente mais idosa, mas não significa uma situação de expansão da pandemia na comunidade, é o caso de reguengos de Monsaraz”.

O Chefe do Governo refere que em Reguengos de Monsaraz “se formos ver as estatísticas parece que houve uma situação generalizada em Reguengos de Monsaraz e não aconteceu, o que aconteceu foi uma situação de enorme gravidade num lar em concreto e que teve um grande efeito estatístico, mas não significa uma situação generalizada no conjunto do território.”