Reg. de Monsaraz: Perolivas ganha nova residência para idosos

Câmara Reguengos

Uma nova residência para idosos, com centro de dia e serviço domiciliário, vai começar a ser construída este mês numa aldeia de Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, num investimento superior a 800 mil euros.

“Estamos a marcar a assinatura do auto de consignação para a próxima semana”, pelo que a empreitada arrancará nos “dias seguintes” com a montagem do estaleiro, revelou hoje à agência Lusa a presidente do município, Marta Prates (PSD).

Segundo a autarca, esta estrutura, cujo contrato da empreitada recebeu agora ‘luz verde’ do Tribunal de Contas, vai ser construída em Perolivas, no concelho de Reguengos de Monsaraz, num terreno que foi doado por um habitante da aldeia.

O edifício a construir será propriedade da câmara municipal, mas a gestão da futura estrutura residencial para idosos vai ficar nas ‘mãos’ da Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Perolivas (ARPIP), adiantou.

Envolvendo um investimento de 864 mil euros, o projeto, promovido pela câmara municipal, conta com uma comparticipação de 85% de fundos europeus, nomeadamente do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

“É um projeto que foi candidatado ao FEDER ainda pelo anterior executivo” liderado pelo PS, mas “o processo não avançou porque não tinha sido pedido o visto do Tribunal de Contas”, indicou a presidente do município.

Marta Prates disse que quando a gestão PSD assumiu funções quis “saber como estava o processo” e foi surpreendida com a falta do visto do tribunal.

“Pedimo-lo e tivemos essa boa notícia na semana passada”, acrescentou.

De acordo com o município, a Estrutura Residencial para Idosos, Centro de Dia e Serviço Domiciliário de Perolivas vai ter capacidade para 20 residentes e 12 utentes no centro de dia e o serviço de apoio domiciliário poderá efetuar o tratamento de roupas de 13 pessoas e servir refeições a 72 beneficiários.

O novo edifício vai ter sete quartos duplos, um triplo e três individuais, receção, sala de reuniões, gabinetes administrativo e da direção e instalações sanitárias comuns.

Cozinha, lavandaria, salas de pessoal, de refeições e atividades para os utentes, gabinete de enfermagem e área de banhos assistidos são outras das valências do futuro equipamento.

A candidatura ao FEDER inclui também comparticipação na aquisição de equipamentos para as cozinhas e de mobiliário para os espaços.