Quarta-feira, Setembro 28, 2022
Pub

Reedição de “Contos” de Fialho de Almeida lançada este sábado em Cuba

- Publicidade -
- Publicidade -

Uma reedição de “mil exemplares” do livro “Contos”, de Fialho de Almeida, “há muito esgotado”, é apresentada este sábado, em Cuba (Beja), para assinalar o 2.º aniversário do museu dedicado ao escritor, anunciou a câmara.

A apresentação vai decorrer no Museu Literário Casa Fialho d’Almeida, às 18:30, com intervenções de António Cândido Franco, professor de Literatura e Cultura Portuguesa da Universidade de Évora, do presidente do município, João Português, e da responsável da Direção Regional de Cultura do Alentejo (DRCAlen)), Ana Paula Amendoeira.

A reedição, patrocinada pela câmara e pela DRCAlen, chegará a “algumas livrarias”, mas será essencialmente “distribuída por bibliotecas municipais de todo o país”, disse hoje à agência Lusa o autarca de Cuba.

O objetivo é “espalhar a obra” de Fialho de Almeida (1857-1911), natural do vizinho concelho de Vidigueira, mas que viveu e faleceu em Cuba.

A reedição estará também à venda na Casa Museu dedicada ao escritor, “um dos autores portugueses mais importantes do final do século XIX e princípio do século XX”, realçou João Português.

“É uma homenagem física e necessária para lembrar o escritor e a figura maior do concelho de Cuba. Queremos voltar a trazê-lo para a ribalta”, sublinhou, lembrando que o livro, publicado pela primeira vez em 1881, está “há muito esgotado”.

A reedição da obra de um escritor “controverso, muito crítico e mordaz em relação à monarquia, primeiro, e à república, depois” e que, por esse motivo, “acabou por ser um pouco esquecido”, faz parte de uma série de iniciativas para recuperar a notoriedade a nível nacional do autor, nascido em Vila de Frades (Vidigueira).

Há dois anos, a 10 de junho, foi inaugurado o Museu Literário Casa Fialho d’Almeida e, no ano passado, atribuído um prémio literário, no valor de cinco mil euros, que a autarquia pretende recuperar “de dois em dois anos”.

Nesse sentido, a câmara pretende continuar a reeditar títulos da obra de Fialho de Almeida e a próxima a ser recuperada será, “em princípio”, o volume de folhetins “À Esquina”.

As reedições contam com o apoio da DRCAlen, que tem vindo “a colaborar ativamente na divulgação deste escritor maior da literatura portuguesa, de Cuba e de Vila de Frades”, referiu à Lusa a diretora do organismo, Ana Paula Amendoeira.

“Fialho de Almeida é muito importante do ponto de vista literário, mas tem, depois, os particularismos que têm a ver com o Alentejo”, notou.

O livro de contos agora reeditado, que o município salientou que está “há muito esgotado”, inclui “textos que têm muito a ver com a região, apesar de a sua qualidade literária ir muito para além dos limites territoriais onde nasceu”, destacou a diretora regional de Cultura.

Ana Paula Amendoeira salientou, também, a “visão crítica, jocosa, humorística e com crítica desassombrada ao status quo” da época do autor e frisou: “Precisamos de pessoas na área da cultura que nos provoquem de forma desassombrada sobre o que são as certezas cómodas, que nunca são boas conselheiras para o espírito crítico”.

“Cada vez mais, Fialho de Almeida é um escritor atual e é nosso dever apoiar e contribuir, do ponto de vista financeiro, para que estas obras sejam divulgadas”, assinalou.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

As mais vistas

Mais notícias

Évora: Museu da Misericórdia mostra “Filigrana em Madeira” de artesão redondense

O Museu da Misericórdia de Évora tem patente, até dia 4 de novembro, a exposição temporária “Filigrana em Madeira”, por Adriano Filipe. A exposição mostra...

Beja: Cerca de 4 dezenas de produtores reunidos na maior feira de vinhos do Sul

A VINIPAX abre as portas em Beja no dia 30 de setembro, sexta-feira, às 18 horas e prolonga-se pelo fim de semana até ao...