Redondo em festa com concerto apoteótico dos Anjos (c/fotos)

Anjos

O Coliseu de Redondo abriu as suas portas, este sábado, para acolher um espetáculo com os Anjos.

Um espetáculo que contou com casa cheia, dentro dos limites possíveis, numa noite em que o público vibrou com os Irmãos Rosado.

Nelson e Sérgio abriram a noite com o tema “Quando fores grande” e a partir daí percorreram a sua discografia mais emblemática dos 20 anos de carreira, tendo-se ouvido temas como “Quero voltar”, “Numa Noite ao luar”, “Perdoa”, “Ficarei”, “Tempo”, “Eterno”, “A vida faz-me bem”, “Voa”, “Porquê”, “Eu estou aqui”, “É o amor”, entre outros. Canções que voltaram a fazer soar o publico cantá-las, homenageando assim o percurso ímpar e valoroso dos Irmãos Rosado.

Em declarações a’ODigital.pt, os Anjos falaram um pouco deste espetáculo bem como do futuro próximo. Sérgio Rosado começou por dizer que “estávamos com muita ansiedade, porque na realidade é a ansiedade que toma conta de nós artistas, porque nós precisamos desta energia do público, porque é isso que faz que toda esta máquina consiga alimentar-se para ir mais para a frente.

Sérgio referiu ainda que “na realidade sentimos que o público precisa também disto, porque tem sido muito complicado tudo o que se vive e sentimos que há uma grande confusão e, portanto, onde as pessoas se têm de refugiar é na cultura, no nosso caso na música, nós sabemos que temos um impacto muito grande na parte da comunicação e nas mensagens que passamos, e é isso que temos tentado fazer com o lançamento das músicas novas, como foi o “Tempo”, que lançámos o ano passado e que teve a mensagem que todos conhecem e agora este novo tempo que tem a mensagem de renascer, de recuperar tudo aquilo que se perdeu nestes quase dois anos de pandemia.

Hoje aqui em Redondo sentimos que foi uma noite emotiva, as pessoas cantaram as músicas todas, com as máscaras é sempre mais complicado, mas mesmo assim fizeram-se ouvir e foi para nós muito importante cantar pela primeira vez nesta terra, portanto nós como quase alentejanos foi muito bom regressar ao Alentejo”, frisou Sérgio Rosado.

Já Nelson Rosado agradeceu a “coragem da autarquia e das pessoas que acorreram e tivemos pessoas de Lisboa que vieram e já não tiveram bilhete, mas deixa-nos de alma cheia saber que os redondenses participaram em massa, Redondo é um concelho de tradição como se sabe”, salientando ainda que “este coliseu é uma casa fantástica e hoje temos de agradecer aos Técnicos porque sabiam das dificuldades em termos acústicos que é este coliseu e eu sei que conseguimos ter aqui um comportamento muito interessante, foram feitas várias experiências e conseguimos, portanto muitos parabéns para os Técnicos e até mesmo para a Corval Som que aceitaram e já ficaram a saber como montar os equipamentos daqui para a frente. Mas foi mesmo extraordinário chegar aqui e ver uma sala cheia dentro das limitações e foi uma noite de grandes emoções e ficou demonstrado que a cultura é segura!

Sérgio Rosado conclui falando sobre o futuro próximo, dizendo que “temos no início de agosto dois concertos seguidos, no dia 7 em Gaia e no dia 8 em Gois e em setembro regressamos ao Alentejo, não vou dizer ainda onde é, e depois até ao final do ano ainda não sabemos bem como vai ser, mas estamos em crer que até ao final do ano ainda vai haver mais coisas e também até ao final do ano vamos ter muitas novidades até mesmo a ver com o Alentejo, é estarem atentos às nossas redes sociais.

Fique de seguida com as imagens deste concerto, numa reportagem de Hugo Calado: