PSD de Évora responde ao PS e afirma que “está em curso uma campanha de condicionamento e intimidação”

PSD de Évora

Depois de na passada semana, Luis Dias, Presidente da Federação de Évora do Partido Socialista ter vindo a público repudiar o alegado aproveitamento político da situação do lar de reguengos de Monsaraz, também agora os dirigentes do PSD vêm contrapor.

Recordamos que Luís Dias, na semana passada criticou o alegado aproveitamento, relembrando que o Presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, José Robalo, foi nomeado pelo Governo de Pedro Passos Coelho.

Já esta semana, a Comissão Política Distrital de Évora do PSD através de um comunicado enviado às redações “lamenta profundamente a tragédia vivida pela população de Reguengos de Monsaraz, que resultou em 18 mortos”, mas “lamenta e repudia que o Partido Socialista, procure retirar dividendos partidários dessa tragédia, apoucando descaradamente o sofrimento de toda uma comunidade”.

Os Dirigentes regionais do PSD, afirma que “temos assistido a uma permanente campanha mediática, em que absolutamente ninguém assume qualquer responsabilidade ou qualquer falha na gestão da crise no Lar de Reguengos.”

Os Sociaisdemocratas vão mais longe nas acusações, referindo que “está em curso uma campanha de condicionamento e intimidação de familiares e amigos das vítimas desta tragédia, bem como de funcionários da fundação responsável pelo Lar, com o objetivo de condicionar o apuramento da verdade!”.

No comunicado é ainda referido que “nos últimos dias, publicamente, a Federação Distrital de Évora do Partido Socialista, atacou de forma soez e direta profissionais de saúde e responsáveis das suas associações profissionais, que denodadamente se empenharam na defesa da saúde pública e na defesa intransigente das condições sanitárias dos seus concidadãos”, acrescentando que “repudiamos veementemente essa mesquinha desumanidade, que devia envergonhar um partido que se diz humanista!”