Projeto pioneiro vai produzir em Évora hidrogénio verde com tecnologia portuguesa (c/fotos)

Hidrogénio Verde em Évora

A empresa portuguesa Fusion Fuel apresentou, esta terça-feira, em Évora, um projeto de produção de hidrogénio verde neste concelho alentejano

Uma apresentação que contou com a presença do ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, do secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba, o Chefe de Desenvolvimento de Negócios da Fusion Fuel, João Teixeira Wahnon, entre outros convidados.

Foi apresentado o projeto H2 Évora, que será a primeira central solar para hidrogénio em grande escala em Portugal, tendo João Teixeira explicado que o projeto conta duas centrais em Évora, porque “é uma região com elevados níveis de irradiação solar, uma rede de gás natural em circuito fechado, terrenos disponíveis e bons acessos rodoviários e ligações”, acrescentando que “a combinação destas características faz de Évora um excelente local para o primeiro demonstrador do FUSION-FUEL.

O responsável revelou que “55 geradores HEVO-SOLAR serão instalados no projeto GreenGas em duas fases”, sendo que após estar totalmente em funcionamento serão produzidas “60 toneladas de hidrogénio verde por ano, o que representa uma diminuição de mais de 600 toneladas de emissões de CO2 por ano em comparação com a produção de hidrogénio convencional.

Este projeto de Évora “será dividido em duas fases”, a primeira consiste na “instalação de 15 unidades HEVO-Solar para produção de hidrogénio verde a partir da radiação solar e convertendo-a em eletricidade usando uma célula de combustível” e a segunda fase “consiste na instalação de 40 unidades HEVO-Solar para produzir hidrogénio verde para injetar na rede de gás natural e vender em recipientes para usos industriais”, indicou João Teixeira Wahnon.

Foi ainda explicado que “o hidrogénio produzido em Évora servirá para várias utilizações, nomeadamente na mistura de hidrogénio na rede de gás natural, conversão em energia elétrica através de célula a combustível e alimentação na rede elétrica em períodos de pico de procura e compressão e engarrafamento para aplicações industriais.

O responsável revelou ainda que em Évora a empresa “vai investir 4,8M€, com a instalação do projeto de desmonstração para produção de Hidrogénio Verde”, sendo que, entretanto, a empresa “vai investir 35 M€ na instalação de uma nova unidade industrial, em Benavente, para a produção de equipamento para a instalação em Portugal e exportação”, bem como “investir anualmente 1,8M€ em investigação e desenvolvimento, de forma a garantir a evolução do produto e dos processos produtivos”.

Fique de seguida com as imagens desta apresentação, numa reportagem de Hugo Calado: