Poeiras de África só deverão desaparecer dia 1 de abril

Poeiras de África

Conforme temos vindo a noticiar, nos últimos dias tem sido verificado o transporte de poeiras sobre o território continental, quer seja detetadas em imagens de satélite ou em observações de superfície, ou ainda em fotografias amplamente divulgadas nas redes sociais.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), “este transporte de poeiras tem implicações na degradação da qualidade do ar e no agravamento de problemas de saúde, como por exemplo do foro respiratório e ainda uma redução de visibilidade na atmosfera.”

Explica o IPMA que “esta situação deve-se a um fluxo de sul induzido por um núcleo depressionário à superfície, com o reforço de um vale em altitude, que se encontra centrado entre o arquipélago da Madeira e a região do estreito de Gibraltar. Nesta circulação, uma massa de ar quente com características tropicais tem afetado o território continental com a subida gradual das temperaturas, em especial da máxima, no entanto, a nebulosidade média e alta que se tem verificado, poderá fazer com que a previsão das temperaturas máximas esteja sobrestimada para os dias 30 e 31. Para o dia de hoje, 30 de março, estima-se que o valor da temperatura máxima tenha sido sobrestimado entre 2 a 5°C.”

“Com a aproximação de uma nova depressão no final do dia de 31 de março e prevendo-se a ocorrência de precipitação a partir do dia 1 de abril, a concentração de poeiras tenderá a diminuir. Nos dias 29 e 30 de março ter-se-ão verificado os valores mais elevados de concentração de poeiras. Ainda durante o dia 31 deverão verificar-se elevadas concentrações de poeiras, diminuindo gradualmente ao longo do dia”, indica o IPMA.

Podemos observar na imagem em baixo uma imagem de satélite, produto Dust RGB, com a localização dos máximos de concentração de poeira nas zonas identificadas pela cor rosa/magenta bastante acentuada, ou seja mais evidente na região sul do território continental. As zonas a vermelho escuro representam nebulosidade média e alta também sobre Portugal.