Pintor Dordio Gomes evocado em peça que estreia sexta-feira em Arraiolos

Dordio Arraiolos

A peça “Dordio Uma Vida de Cor”, dedicada ao pintor Dordio Gomes, considerado “figura maior do modernismo português”, tem a sua estreia nacional esta sexta-feira, em Arraiolos (Évora), num espetáculo da companhia TEatroensaio, foi hoje divulgado.

O espetáculo, uma coprodução da TEatroensaio e da Câmara Municipal de Arraiolos, vai ser apresentado na vila alentejana na sexta-feira e no sábado, às 20:30, assim como no domingo, às 17:30, com entrada gratuita.

Contudo, a lotação do Cineteatro de Arraiolos está limitada e sujeita a marcação e às normas da Direção-Geral da Saúde, devido à pandemia de covid-19, sendo obrigatório o uso de máscara, alertaram os promotores.

A estreia nacional de “Dordio Uma Vida de Cor“, com texto e encenação de Pedro Estorninho, acontece, precisamente, na vila onde nasceu o pintor Dordio Gomes, em 1890, e que faleceu no Porto, em 1976, com 85 anos.

A interpretação está a cargo de Inês Leite, Joana Canoa e Paulo Monteiro, enquanto a música original é de Eduardo Baltar Soares e o desenho de luz e vídeo é “assinado” por Hugo Valter Moutinho.

Segundo a companhia teatral, o espetáculo é dedicado ao pintor, “figura maior do modernismo português”.

Para descobrir “o homem e a obra“, o público deve assistir a este espetáculo, a esta conversa onde o próprio Dordio viaja “pela obra e por si“, resumiu a TEatroensaio.

De acordo com a sinopse do espetáculo, Dordio Gomes, “nasce em Arraiolos, num profundo Alentejo” e “parte da sua terra natal para Lisboa apenas com 12 anos, entrando para Belas-Artes”.

Daí, “sai para o mundo, viaja pela Europa” e “estuda em Paris, dá um salto maior, ou vários saltos ao longo da sua vida e carreira”, e chega “as Américas”.

Até que o artista se fica “na cidade do Porto, onde é professor em Belas-Artes”, passando-lhe “pelas aulas Resende, Lanhas, entre outros“, é indicado na sinopse.

A TEatroensaio é uma companhia de teatro profissional, do Porto, e é estrutura financiada pelo Ministério da Cultura e Direção-Geral das Artes.