“Os turistas procuram experiências únicas que não têm em mais sítio nenhum, e é isso que o Museu dos Cristos vai permitir”, diz Sec. Estado do Turismo (c/som)

O Município de Sousel inaugurou esta quarta-feira, 24 de Abril, o Museu dos Cristos de Sousel, um equipamento desejado há muitos anos e que agora se torna uma realidade.

A cerimónia de inauguração contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Sousel, Manuel Valério, a Secretária de estado do Turismo, Ana Mendes Godinho e a Diretora Regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira, entre outras entidades civis e militares.

ODigital.pt falou com a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, que nos disse que este é “um momento histórico, porque se conseguiu aquilo que parecia ser impossível, depois de anos em que várias tentativas tinha havido para criar os museus dos cristos”.

A governante realça o “trabalho feito desde inicio pelo coleccionador e graças a uma grande locomotiva que a Câmara tem e que puxou e que conseguiu concretizar um sonho dos próprios souselenses e que também vai ajudar a criar mais um atractivo para a região, não só do Alentejo, mas para nos afirmarmos internacionalmente com uma coisa única, cada vez mais os turistas procuram experiências únicas que não têm em mais sítio nenhum, e é isso que os Museu dos Cristos vai permitir, ter uma experiência que não se tem em mais lado nenhum.”

Questionada sobre os apoios do governo para este tipo de projecto, Ana Mendes Godinho afirma que “o nosso objectivo tem sido, por um lado alargar o turismo ao longo de todo o território, isto significa abrir o mapa turístico de Portugal e é preciso ter produto e dar visibilidade ao que nós temos, por isso estas peças tão bem guardadas de nada nos servem se não puderem ser visitadas e usufruídas pelas pessoas e por isso é fantástico a integração com a rotas das igrejas”, finalizando dizendo que esta é “uma forma claramente de pormos Sousel no mapa turístico e é esse o objectivo de todos nós, é criar instrumentos que permitiam dar visibilidade ao território e à riqueza que nós temos.”