Os Tapetes de Arraiolos já estão na rua, num certame de “valorização do tapete”, referiu a autarca (c/fotos)

O Tapete está na rua

Os tradicionais tapetes de Arraiolos voltam a ser estendidos nas principais ruas do centro histórico daquela vila alentejana, até ao próximo dia 13, durante um certame de promoção desta genuína tapeçaria local

A abertura oficial do certame “O Tapete está na Rua’2021” realizou-se na tarde desta terça-feira, dia 08 de junho, e contou com a presença de Sílvia Pinto, presidente da Câmara Municipal de Arraiolos, Ana Paula Amendoeira, Diretora Regional de Cultura do Alentejo, Vítor Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, Jerónimo Loios, Presidente da Assembleia Municipal de Arraiolos entre outras entidades locais e regionais.

Para além da cerimónia protocolar, a abertura do certame contou com a inauguração de várias exposições, bem como uma visita pelas ruas de Arraiolos onde podem ser vistos belos Tapetes de Arraiolos.

Em declarações a’ODigital.pt Sílvia Pinto, presidente da Câmara Municipal de Arraiolos salientou que a edição deste ano é “diferente das anteriores, que aposta, como sempre, na valorização do Tapete de Arraiolos, mas, tivemos que ajustar toda a programação à situação que atravessamos neste momento com a pandemia e, foi sem dúvida um desafio, para todos nós, reconstruir este evento, tendo por base todas as novas regras, mas penso que valeu a pena este esforço e que esta iniciativa vai ter um bom acolhimento por parte de quem nos vem visitar“.

Como já noticiámos, o processo de inscrição da confeção do tradicional Tapete de Arraiolos no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial está desde hoje em consulta pública, segundo um anúncio publicado em Diário da República, sendo que sobre este tema, Silvia Pinto referiu que “é muito importante para nós, pensamos que é um passo que o Tapete de Arraiolos necessitava e aguardávamos há algum tempo, portanto é com muita alegria que vimos isso hoje refletido em Diário da República“.

A edil terminou dizendo que “esperamos que estes dias que se avizinham decorram também da melhor forma obviamente que apelamos a todos, aos que nos visitam e aos arraiolenses, que cumpram as normas da DGS, pois é importantíssimo para que esta iniciativa corra da melhor forma e esperamos que estas regras não sejam esquecidas” concluiu Sílvia Pinto.

Já Ana Paula Amendoeira, Diretora Regional de Cultura do Alentejo referiu que este certame resulta de “uma organização com muita qualidade, que é bem pensada, é articulada, ou seja, olhamos para o programa e vimos que foi pensado com um propósito que tem a ver com a investigação, a valorização, com o conhecimento e com a utilização deste património para construir o futuro de arraiolos”.

Já sobre o Tapete de Arraiolos, Ana Paula Amendoeira considera que o “trabalho que é desenvolvido em Arraiolos é um fio condutor de uma estratégia de desenvolvimento cultural, turístico e económico para o concelho e para a região”, acrescentando que “é um património que extravasa largamente os limites do concelho de arraiolos”.

Para Vítor Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, o Tapete de Arraiolos “é um produto que, é das mais antigas tradições que temos na nossa terra e, é um produto fortemente identitário e o Alentejo vive muito dos produtos que são a sua identidade.”

Vítor Silva salientou ainda que “o Tapete é uma ancora para o desenvolvimento económico aqui da terra”, destacando que “o turismo é um negócio, é uma atividade económica que se no final não houver uma transação económica então não há turismo”.

O presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo concluiu referindo que “a linha estratégica do Alentejo é a qualidade, e o Tapete de Arraiolos é um desses produtos de qualidade”.

Fique de seguida com as imagens da abertura deste certame numa reportagem de Hugo Calado e Joana Cardoso: