Os surtos no Alentejo “vão existir não tenhamos dúvidas”, porque, “o vírus está aí”, disse Jorge Seguro Sanches

Seguro Sanches

O Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, também Autoridade de Coordenação da Situação de Calamidade na Região Alentejo, Jorge Seguro Sanches, esteve esta noite no programa de televisão da Sic Noticias, “Expresso da Meia Noite”, onde voltou a expressar a sua preocupação com a falta de profissionais de saúde no Alentejo e admite que o número de infectados vai subir na região.

O Governante, questionado sobre o baixo numero de infectados até agora, refere que “o Alentejo tem uma grande vantagem face ao resto do país, que tem muito a ver com o distanciamento social”, mas “de qualquer forma, o que eu encontrei no Alentejo é uma atitude por parte dos cidadãos de grande responsabilidade, uma área de saúde pública extraordinariamente organizada e motivada, com poucas pessoas é verdade, que é sempre o problema que temos no Alentejo”.

Jorge Seguro Sanches deixou ainda uma palavra aos profissionais de saúde publica, “que conseguiram fazer muito do levantamento, muito do rastreio e por essa forma foi possível em muitas situações identificar, prever, tratar e isolar as situações que tivemos”.

Já sobre o facto do Alentejo, previsivelmente, no Verão vir a receber muitos turistas, Jorge Seguro Sanches foi questionado de como está a preparar esta situação, tendo respondido que “esta situação depende de cada um de nós, nós só conseguimos evitar a propagação do vírus através da nossa própria atitude”.

O Secretário de Estado reconhece que os portugueses são extraordinários quando as dificuldades são muito grandes, quando as dificuldades não são tão grandes por vezes os português têm tendência a aligeirar as preocupações e eu penso que esse trabalho tem de continuar a ser feito”.

Questionado se está preparado para um aumento de casos no Alentejo, o Coordenador da Situação de Calamidade na Região Alentejo diz que “tenho de estar preparado para isso”, deixando claro que o que é preciso “é termos os hospitais e as unidades de cuidados intensivos, com capacidade para tratar as situações que nos apareçam e ao mesmo tempo conseguir que as pessoas tenham, do ponto de vista pedagógico, toda a informação para evitar haver contágios, mas quando eles aconteçam precisamos de ter preparados o Serviço Nacional de Saúde, preparadas camas de retaguarda, a possibilidade de toda a uma infraestrutura que está á volta disto sejam capazes de dar uma resposta positiva a esta questão, porque eu não tenho dividas nenhuma que ela vai acontecer”.

Jorge Seguro Sanches deu ainda a conhecer que na abertura das cresces e escolas no Alentejo, “o número de alunos que foi frequentar a escola é um número muito reduzido, e isso é algo que nos deve fazer reflectir sobre a forma como nos devemos relacionar e passar bem a mensagem em relação ás pessoas e à população.”

Sobre os surtos que agora começa a surgir, o Governante refere que está-se a preparar “a capacidade no Alentejo de nestas situações de surtos que possam existir, e que vão existir não tenhamos dúvidas, porque como todos dizem, o vírus está ai, o vírus vai transmitir-se a apesar de todos os cuidados, e nós temos de estar preparados e ter um plano para responder a essa situação”.