Odemira “é um território tão diverso e com muitos potenciais”, disse autarca na abertura do Centro de Cycling (c/fotos)

Como já noticiámos, na passada quinta-feira, 16 de Julho, a Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, realizou uma visita de dois dias aos Alentejo. Uma visita que aconteceu alguns meses depois de já ter realizado também uma visita de dois dias a esta região.

Um dos pontos de passagem da governante foi o concelho de Odemira, onde inaugurou o Centro de Cycling e onde ficou a conhecer um pouco melhor a Rota Vicentina.

Uma visita que contou também com a presença do Vogal do Turismo de Portugal, Carlos Abade, o Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e  Ribatejo, António Ceia da Silva, o Presidente da Câmara Municipal de Odemira, José Alberto Guerreiro, bem como os representantes a Rota Vicentina, entre outras entidades.

O Presidente da Câmara Municipal, começou por referir que Odemira “é um território tão diverso e com muitos potenciais, mas também com diversos problemas e há muitos aspectos que nos preocupam”.

Sobre o Turismo, José Alberto Guerreiro referiu que Odemira e o Alentejo Litoral está “muito mais vocacionado para uma paragem em que a Rota Vicentina tem trabalhado muito”, destacando as parcerias entre a Rota Vicentina, o Município e todos os outros parceiros que “em determinada altura tivermos o objetivo político de levar a Rota Vicentina para territórios mais a interior”, referindo ainda que “o nosso interior que tem características muito próximas, muito parecidas com o interior da Ajustrel ou com o interior de Moura, ou seja, com características mais serranas, com densidades populacionais mais baixas e nós temos vindo a tentar trabalhar nesse sentido e a rota tem sido fundamental ter levado esses projetos ao nosso interior, não só nas rotas pedonais mas também agora nas rotas ciclável.”

O Autarca destacou ainda que “o Alentejo tem características fantásticas para o turismo de natureza e convida as pessoas a ter uma vida mais saudável”.

Ainda sobre a Rota Vicentina, José Alberto Guerreiro deixou claro que “é do Alentejo e do  Algarve, até porque adotou esta designação porque ela é uma expressão cada vez mais presente, mas diria que é a expressão do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina.”

Para o edil, um dos focos centrais “é o desenvolvimento turístico e agora aqui com um novo marco que eu gostaria aqui de destacar, é que já não estamos satisfeitos apenas com os caminhantes, mas queremos agora também aqueles que vêm andar de bicicleta”, referindo-se ao centro de cycling.