“O que me fazia confusão é que em pleno século XXI ainda havia uma população que não tinha saneamento básico”, diz Autarca de Borba (c/som e fotos)

Resultante de um investimento total de 1.831.323,62€, tendo a comparticipação do POSEUR em 892.500€, foi apresentada a fase final das obras de saneamento que estão a decorrer na freguesia de Rio de Moinhos.

No início do ano arrancaram duas empreitadas de obras públicas, a “Empreitada de Construção do Sistema Interceptor de Rio de Moinhos” e a “Empreitada de Concepção/Construção da ETAR de Rio de Moinhos”, que estão já em fase de conclusão.

A empreitada do sistema interceptor é composta por duas estações elevatórias, a EE de Barro Branco e a EE de Rio de Moinhos, respectivas condutas e emissários, que permitem recolher e transportar o efluente da aldeia do Barro Branco, Talisca e povoação de Rio de Moinhos, até à nova ETAR.

A ETAR de Rio de Moinhos foi dimensionada para uma população de 3500 hab, equivalentes, para um caudal de 420 m3/dia (tempo seco) e 530 m3/dia (tempo húmido), cujo tipo de tratamento é lagunagem (lagoa anaeróbia, lagoa facultativa e lagoa de macrófitas) com duas linhas independentes, precedido de pré-tratamento constituído por grade grossa, tamisagem, desarenamento e desengorduramento.

Pela manhã, e debaixo de forte chuva, decorreu uma visita à ETAR, sendo que pela tarde decorreu no Salão Nobre dos Passos do Concelho uma reunião com os empresários do sector dos lacticínios sediados na freguesia de Rio de Moinhos.

“Era uma obra esperada pela população de Rio de Moinhos há cerca de 30 anos”

ODigital.pt acompanhou estas iniciativas e falou no final com António Anselmo, Presidente da Câmara Municipal de Borba, que começou por salientar que “era uma obra esperada pela população de Rio de Moinhos há cerca de 30 anos, é uma obra digna, uma obra com uma dimensão muito grande, desde a própria ETAR à estação elevatória que tivemos o prazer de ver, que vai servir o clima, o ambiente e acima de tudo as pessoas de Rio de Moinhos”, apressando-se a referenciar que “não há nenhum problema com os queijeiros, como nos podemos aperceber através desta reunião pública existem dúvidas, que naturalmente, com bom senso, e com todas as partes, vamos resolver o que tivermos que resolver.”

“Fica concluído todo o sistema de saneamento básico em Borba”

O edil borbense revelou que “com esta obra fica concluído todo o sistema de saneamento básico em Borba, tudo o que é Borba, em termos de concelho, que sendo pequeno, fica resolvido. O que me fazia confusão e me faz confusão é que em pleno século XXI ainda havia uma população grande, na ordem das 1500 pessoas, de Rio de Moinhos, Barro Branco e Talisca que ainda não tinham este sistema de saneamento básico e primitivo resolvido mas já está resolvido, para aqueles que duvidavam tudo o que se quer fazer, em prol do povo, faz-se e isso é a prova”.

“Aquilo que se passar com os queijeiros em termos dos efluentes iremos falar com eles e resolver”

O bom funcionamento desta ETAR vai depender muito também dos queijeiros sediados na freguesia, tendo o autarca referenciado que “os queijeiros são pessoas empreendedoras e, acima de tudo, muito inteligentes e trabalhadoras e como tal irão naturalmente, com o tempo, resolver as coisas que têm de resolver, o caminho faz-se caminhando e com calma e com paciência tudo se faz, tem que haver é vontade”, no entanto António Anselmo garante que “aquilo que se passar com os queijeiros em termos dos efluentes iremos falar com eles e resolver, a câmara é sempre solução e vai ser solução com eles e com a Águas do Vale do Tejo, não queremos confusões com ninguém, queremos é equilíbrio, respeito pelo ambiente e que Rio de Moinhos possa ter uma ETAR que nunca teve, que é aquilo que me importa”.