“O objectivo é que todos aqueles que escolheram o Redondo para viver se sintam também redondenses”, diz autarca do Município de Redondo (c/som e fotos)

Entre os dias 17 e 24 de Março a vila de Redondo recebeu um conjunto de actividades direccionadas para as comunidades estrangeiras residentes no concelho.

Exposições, inauguração de um monumento, workshops, espectáculos musicais, um almoço convívio e uma missa ortodoxa, foram parte de um programa ecléctico.

ODigital.pt esteve presente numa das actividades realizadas no passado sábado, 23 de Março, no Centro Cultural de Redondo, tendo estado em palco a Orquestra Sinfónica do Conservatório Regional de Artes do Montijo.

Em declarações ao ODigital.pt, António Recto, Presidente da Câmara Municipal de Redondo explica que este conjunto de actividades “é uma forma de reconhecer, até porque eles escolheram este concelho para viver, nós temos também de criar condições para os integrar na sociedade, é uma obrigação, até porque somos um país de emigrantes, e certamente todos aqueles que nos deixam e procuram outros países para viver e procurando oportunidades melhores, também querem ser bem recebidos e tratados com dignidade.”

O autarca acrescenta ainda que “é já a sétima edição que a Câmara do Redondo dedica a um período dedicado a estas comunidades, são 14 comunidades que participaram nesta iniciativa, todas elas residentes no Redondo, umas com mais peso e outras com menos, mas não deixamos ninguém de fora e todos os que querem participar participam. Estão aqui 14 comunidades, começou no fim-de-semana passado, uma parte mais gastronómica e outra mais lúdica, de princípios, vivências dos países deles. Hoje temos um concerto com a Orquestra Sinfónica do Conservatório do Montijo”, este certame “também tem uma componente religiosa, vai haver uma missa ortodoxa na igreja da qual a câmara é proprietária, que é a Igreja do Convento de Santo António, seguido depois do almoço para estas comunidades e para quem se inscreveu.”

O edil termina afirmando que “o objectivo é que todos aqueles que escolheram o Redondo para viver se sintam também redondenses. (…) Somos dos povos que melhor sabem receber, é uma das características do Redondo”.