“O futuro deve ser projectado, mas tendo em conta as nossas raízes e tradições”, diz Autarca de Redondo na comemoração do Dia de Reis (c/som e fotos)

A vila de Redondo, no distrito de Évora, tem por tradição celebrar o Dia de Reis no dia que o antecede, com vozes e cânticos típicos do Alentejo e em especial da vila de Redondo. Hoje, dia 5, as comemorações iniciaram-se no mercado municipal, com o grupo do programa “Dinâmica Sénior” a passar depois por várias instituições da vila, terminando o périplo na Praça da Republica, onde foi recebido pelo Presidente da Câmara Municipal de Redondo, o Presidente da Assembleia Municipal e por dois Vereadores deste Município. Em declarações a’ ODigital.pt, o Presidente da Câmara de Redondo, António Recto falou um pouco sobre esta tradição dizendo que no Redondo “comemora-se a Noite de Reis e nos Reis há aqui identificação na nossa terra, como há noutras em que chamam as Janeiras”, acrescentando que “começámos bem essas comemorações com Dinâmica Sénior a vir à Praça da República, junto à Câmara, cantar os Reis. Depois, à noite, nesta mesma praça, juntam-se aqui uma série de grupos, os cantadores, os trovadores, as cantadeiras, provavelmente o Rancho Folclórico, portanto um conjunto de associações que passa aqui o serão sempre a cantar.”

Sobre a relação entre as tradições e a identidade do povo de Redondo, o edil refere que “que é isto que nos caracteriza, que é a nossa boa disposição, nunca esquecendo aquilo que é tradicional e os cantos dos Reis que nesta terra é secular, nesta noite, e vamos ter um programa bem animado durante a noite aqui na Praça da República. Sempre regado com bom vinho, bom chouriço, bom queijo, o próprio Bolo-Rei que também faz parte destas comemorações”, salientando ainda que “os meus familiares, principalmente o meu avô paterno era um aficionado, digamos assim, um participante activo desta tradição”.

Sobre as várias motivações que levaram a manter esta tradição, António Recto disse-nos que “isto no tempo da outra Senhora era uma forma de quem pouco tinha, conseguir alguns bens para alimentar os filhos durante algumas semanas, aproveitando esta altura dos Reis, cantando junto das grandes casas agrícolas e em que muitas vezes, essencialmente, eram oferecidos bens alimentares. E quem tinha dificuldades aproveitava esta noite”, salientando que “hoje, felizmente, isso já não se verifica. É mais para manter a tradição e já não se vão às grandes casas agrícolas mas sim às instituições.”

O autarca conclui dizendo que “o que importa referir é, não deixarmos morrer estas tradições que são tão nossas, que fazem parte da nossa história. Porque muitas vezes projectam-se futuros esquecendo o passado e não deve ser. O futuro deve ser projectado mas tendo em conta as nossas raízes e tradições. Mas estamos cá, o povo do Redondo adora isto”.

Fique de seguida com algumas imagens do evento ocorrido na manhã deste sábado: