No 1º de dezembro, Vila Viçosa apresentou um livro que “narra a história das figurações emblemáticas de Maria (c/fotos)

Livro padroeira

Integrado nas comemorações do Dia da Restauração da Independência de Portugal, em Vila Viçosa, decorreu no Salão Nobre do Município de Vila Viçosa a apresentação do livro “A Conceição de Portugal e do Brasil”, de António Trigueiros.

Um ato que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa, Inácio Esperança, do autor do livro, António Trigueiros, bem como do representante do CECHAP e do Instituto da Padroeira, Carlos Filipe.

Em declarações a’ODigital.pt, o autor do livro, António Trigueiros, explica que a obra “narra a história das figurações emblemáticas de Maria, ou seja, da representação da sua imagem ou dos seus atributos em moeda, medalha e insígnia honorífica, que é uma história pouco conhecida.

O autor refere ainda que “este livro não tem conexões religiosas, nem políticas, nem nobiliárquicos, trata-se de percorrer toda a história de Portugal desde a proclamação da Padroeira de Portugal, em 1646, até à atualidade e ver o que é que foi feito por várias gerações nessas figurações emblemáticas, nessas moedas, medalhas e principalmente nas insígnias da Ordem Militar de Nossa Senhora da Conceição.

Trata-se de “uma história desconhecida para muitos, de facto é uma coisa muito restrita mesmo na moeda é restrita e na insígnia da Ordem da Conceição também”.

Falámos também com o investigador Carlos Filipe, do CECHAP e do Instituto da Padroeira, que nos referiu que “António Trigueiros é um profundo conhecedor do estudo da moeda, da medalha e das insígnias, é um homem que trabalha sobre este tema e sobre a historiografia deste tema há muitos anos e realmente para Vila Viçosa é muito importante, porque é um significado, é um símbolo não só da Igreja, mas é um símbolo daquilo que foi a arte de transmitir através da moeda e da medalha uma simbólica ligada à sua padroeira.

Questionado se ainda há muita história sobre Nossa Senhora que ainda é desconhecida, Carlos Filipe afirmou que “ainda há muito por conhecer, não é por acaso que se constituiu o Instituto da Padroeira para os estudos da mariologia e felizmente está em Vila Viçosa e que tem exatamente esta importância de desenvolver estudos, desenvolver atividades culturais para o conhecimento e a aprofundar aquilo que é a ligação entre os homens e a Virgem Mãe de Jesus.

Fique de seguida com algumas imagens deste lançamento, numa reportagem de Hugo Calado: