Mudar-se para o interior do país para trabalhar, poderá ter apoios do estado. Saiba quais e como tê-los

Trabalhar no interior do país

O Governo canaliza 63 milhões de euros em duas medidas previstas no Programa de Valorização do Interior, nas vertentes de apoio à mobilidade de trabalhadores do litoral para o interior (Emprego Interior MAIS), e de apoio à contratação para empresas com atividade no interior (+CO3SO Emprego Interior).

Estas medidas de apoio do Governo são o resultado de um trabalho conjunto entre o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e o Ministério da Coesão Territorial. As medidas são financiadas com fundos europeus dos Programas Operacionais Regionais Norte 2020, Centro 2020, Alentejo 2020 e CRESC Algarve 2020.

Estão abertas desde o dia 20 de agosto, na página do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), as candidaturas para a medida a Emprego Interior MAIS – Mobilidade Apoiada para um Interior Sustentável.

Segundo o Governo, “esta medida visa promover a mobilidade geográfica de trabalhadores e a sua fixação em territórios do Interior, apoiando desempregados e empregados à procura de novo emprego. A concessão dos apoios previstos na medida Emprego Interior MAIS abrange:

  • contratos de trabalho por conta de outrem (sem termo, a termo certo com duração inicial igual ou superior a 12 meses e a termo incerto, quando a duração previsível seja igual ou superior a 12 meses);
  • a criação do próprio emprego ou empresa, em local situado em território do interior, à qual esteja associada a mudança de residência.”

As candidaturas terão de ser submetidas nos 90 dias seguintes à celebração de contrato de trabalho ou da criação do próprio emprego ou empresa.