Montemor-o-Novo vai promover a cebola roxa como produto endógeno e vai incentivar a sua produção

Cebola roxa

No decorrer da Implementação da Estratégia Alimentar – SMEA em Montemor-o-Novo, foi decidido pelo Conselho SMEA promover e dinamizar como produto endógeno do concelho a Cebola Roxa.

A promoção deste produto está a ser efetuada pela Câmara Municipal de Montemor-o-Novo e o Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento da Universidade de Évora (MED).

Segundo se explica em comunicado, “com esta valorização, pretende-se que esta variedade tradicional do concelho, que quase já não se produz, conhecida pelo seu sabor característico e apreciada pela sua suavidade, e pelo seu período de conservação, se traduza numa maior produção, atração de novos produtores, promovendo práticas produtivas sustentáveis e incrementando o seu consumo.”

O projeto Cebola Roxa de Montemor-o-Novo, tem como linhas de atuação principais:

– salvaguardar o património genético, aumentando o número de sementes disponíveis;

– estabelecer uma rede de apoio técnico a produtores que queiram produzir a variedade, que lhes garanta orientação e apoio na resolução de problemas;

– proporcionar aos produtores já existentes e aos novos que se queiram instalar, uma oportunidade de negócio através do escoamento e preço correto do produto;

– valorizar o produto junto do consumidor;

– ganhar escala através da junção de produção de produtores diversos.

Ainda segundo a informação disponibilizada, em março foi realizada uma reunião com todos os produtores interessados em produzir Cebola Roxa de Montemor-o-Novo e a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo. Na sequência desta reunião, no âmbito das atividades previstas na SMEA, está a ser fornecido a título gratuito, aos 18 produtores que irão produzir a Cebola Roxa de Montemor-o-Novo, o cebolo pronto para ser plantado.

Esperam os promotores deste projeto, “fomentar o sistema alimentar local ao nível do aumento da produção associando produtos, tentando criar sinergias nas suas várias vertentes (produção, comercialização, consumo final) com todos os atores da comunidade.”