Monsaraz: Igreja N. S. da Lagoa alvo de obras de requalificação, num investimento superior a 1,5M€ (c/fotos)

Igreja de Monsaraz

A Igreja Nossa Senhora da Lagoa, em Monsaraz, no concelho de Reguengos de Monsaraz, vai ser alvo de obras de restauro e requalificação, num investimento superior a 1,5M€.

Esta quinta-feira, 25 de novembro, foi assinado o contrato para os trabalhos de restauro deste Monumento Nacional e também um Protocolo de Colaboração para o Apoio Financeiro entre o Município de Reguengos de Monsaraz e a Fábrica da Igreja Paroquial da Freguesia de Monsaraz, promotora da obra, no valor de 154.654,79€.

Em declarações a’ODigital.pt, o Padre Manuel José Marques explicou que “o projeto tem o valor global de 1.546.000€ mais IVA, financiado em 75 por cento pelos fundos comunitários do Alentejo 2020 e como foi acordado hoje, vamos contar com um apoio da Câmara Municipal que financiará parte da contrapartida nacional.”

O pároco revelou-nos que “o projeto engloba o restauro e a requalificação do edifício em termos de alvenaria, portanto, tudo o que é a estrutura do edifício, os telhados, eletricidade, a colocação também de águas e construção de uma casa de banho. Esta será uma parte da obra, a outra parte será o restauro de todo o recheio da Igreja, de tudo o que é pinturas, azulejos, imagens, tecidos, a paramentaria toda, os altares, a talha dourada, as portas, os sinos, toda a parte das pinturas das colunas, entre outras coisas que fazem parte do interior”.

Para além do edifício e do recheio, será ainda requalificado e valorizado o recheio do museu que tínhamos e que funcionou numa dependência da Igreja e depois num edifício de cada câmara municipal”, salientou o Padre Manuel José.

Esta obra tem um prazo de execução de 18 meses, mas “sabemos que nem sempre é possível concretizar, mas os timings são esses”, frisou.

Nesta cerimónia esteve presente o Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho, que disse que este momento trata-se de “uma visão de luz, depois de uma estrada que nos preencheu de interrogações”.

D. Francisco Senra Coelho deixou claro que “esta casa é para esta vila medieval um cartaz turístico também internacional, de grande valor e projeção do concelho, esta casa é a alma desta vila”, acrescentando que “esta igreja marca uma época em que Portugal sonhou alto e por isso é uma igreja que marca um desafio e a grandeza da alma de um povo”.

O Arcebispo de Évora salientou ainda que com esta obra “estamos a dignificar cada montesarenses e cada pessoa que aqui continua a viver e a dar vida a esta vila histórica.

Já a presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, Marta Prates, disse que com a assinatura destes contratos “estamos todos a construir também história ao contribuímos para a requalificação do património nacional”, salientando que “nós enquanto decisores políticos temos o dever de preservar e recuperar o património, até porque este ao longo dos séculos alguém foi cuidando e honrando este monumento e que nós agora sejamos capazes de honrá-lo e deixa-lo para as gerações vindouras o poderem desfrutar mais à frente.

A autarca agradeceu à igreja por “não ter desistido, depois de um processo difícil”, referindo também que o apoio da autarquia ao projeto “era inevitável”.

Presente nesta cerimónia esteve também a Diretora Regional de Cultura, Ana Paula Amendoeira, que referiu ser “um momento decisivo para podermos ter a igreja recuperada”, recordando que “este processo foi muito difícil, mas infelizmente não é o único, pois no Alentejo temos um património muito rico, muitas vezes em mau estado de conservação, mas são intervenções muito complexas e muitas vezes esta complexidade dificulta e alonga estes processos”.

Ana Paula Amendoeira afirmou que “cada vez que uma igreja é recuperada para continuar a ser igreja, para nós é uma grande alegria, porque os edifícios se forem usados para o fim que foram construídos é que se completam na sua plenitude”.

Fique de seguida com as imagens desta cerimónia, numa reportagem de Hugo Calado: