Monitorização do Ambiente Marinho na zona costeira de Sines avança para a 4ª fase

Aguas de Santo André

Vai avançar em breve 4.ª da fase do Programa de Monitorização do Ambiente Marinho na zona costeira de Sines.

A empresa Águas de Santo André, do grupo Águas de Portugal, já adjudicou o contrato para a execução do Programa de Monitorização do Ambiente Marinho junto e na envolvente do Emissário Submarino na zona costeira de Sines, para os próximos 3 anos (2021/2024), constituindo um investimento por parte da empresa de 87.996 euros.

Segundo explica a empresa, “o Programa de Monitorização do Ambiente Marinho junto e na envolvente do Emissário Submarino, é um projeto determinante, em desenvolvimento desde 2007, e que tem como objetivo avaliar o impacte ambiental da descarga da ETAR de Ribeira dos Moinhos através do Emissário Submarino de Sines na zona costeira.”

Acrescenta ainda a empresa que “esta iniciativa incluiu a recolha de amostras na coluna de água e nos sedimentos para avaliação do estado do meio recetor e uma componente de modelação para interpretação dos processos que determinam o impacte, tendo pretendido determinar impactes a 3 níveis: microbiológico, trófico e sedimentar, tendo ainda sendo desenvolvida, na segunda e terceira fase, a avaliação da ação potencialmente tóxica dos contaminantes na proximidade do emissário.”

Já sobre os resultados da terceira fase, concluída em agosto de 2020, revela a empresa que “evidenciaram que este estudo tem demostrado uma elevada qualidade ecológica dos habitas em todos os locais amostrados, e que as condições do meio recetor mantêm padrões típicos destas zonas costeiras, sem nenhuma influência antropogénica.”

Agora, e até final de 2021, será executada a 1.ª de seis campanhas previstas no âmbito desta adjudicação, dando continuidade ao trabalho desenvolvido pela Águas de Santo André, S.A., desde 2007.

Conclui a empresa Águas de Santo André, referindo que “pretende com esta monitorização ser um exemplo nacional e garantir que toma todas as medidas necessárias atempadamente para continuar a garantir a proteção do ambiente e da zona envolvente da sua área de atuação.”