Ministro diz que o “Alentejo terá um papel muito importante produção de eletricidade a partir do solar”

Matos Fernandes

Como já noticiámos, foi apresentado, esta terça-feira, o projeto da Central Solar de Santas, na Herdade das Santas, em Santo Aleixo, no concelho de Monforte (Portalegre), um investimento de 120 milhões de euros e que vai ser desenvolvido em 350 hectares.

Um projeto que é promovido pela empresa Akuo, produtor independente de energia a partir de fontes renováveis

Odigital.pt ouviu João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente e da Ação Climática, que começou por referir que “o Alentejo vai ter de facto um papel muito importante naquilo que é a produção de eletricidade a partir do solar”, acrescentando que “a região tem um papel absolutamente essencial, porque tem de facto muitas horas de sol, muitos terrenos disponíveis e onde projetos como estes são também valorizadores daquilo que é a renda que os proprietários dos terrenos podem vir a ter”, no entanto, o governante afirmou ainda que “o Alentejo tem ainda aqui um problema que é ter uma pouco densa rede de transporte de eletricidade”.

Já sobre a central que vai ser instalada no concelho de Monforte e as mais valias que pode trazer para o território João Pedro Matos Fernandes disse que “duplica a população desta freguesia e das freguesias envolventes e por isso é um fator de riqueza, é uma empresa que se vai instalar cá e que vai pagar impostos cá e que vai criar este emprego e sobretudo criar esta possibilidade de produzir eletricidade para alimentar 100 mil habitações e, portanto, este projeto em conjunto com o do Hidrogénio Verde, que existe também para Monforte, vai fazer com que Monforte tenha um papel relevante no Atlas da energia renovável em Portugal”.

Recorde-se que esta central terá uma potência infeção de 150MVA, uma potência pico licenciada de 180 MWp, irá evitar a emissão de 70.000 tCO2 por ano, prevê abastecer o equivalente a 100 mil casas e terá instalados 360 mil painéis solares.