Mário Esteves Coluna, “O Monstro Sagrado”, glória do desporto de Moçambique e de Portugal

O destino vitorioso de Mário Coluna, vencedor várias vezes no campeonato de Moçambique, onde nasceu, que se tornou capitão do Benfica e ainda contribuiu muito para o bronze da seleção de Portugal, país que se naturalizou, no ano de 1966

Evolução

Foi deste modo que Coluna, assim foi mais conhecido internacionalmente, começou a evoluir, isto é, a subir na carreira com êxito, tendo começado a jogar cedo, ainda na infância. Ele apresentava um talento natural extremo, sendo um indivíduo habilidoso, possuidor de um interesse diversificado por várias modalidades desportivas, dentre elas: boxe, basquetebol e atletismo, modalidade esta na qual estabeleceu o recorde de salto em altura e foi campeão em Moçambique. Estreou como futebolista numa equipa juvenil em Maputo, a capital Moçambicana. Posteriormente mudou para o Desportivo de Lourenço Marques, sagrando-se campeão da Liga Moçambicana em 1952. Foi mais tarde que os olheiros do Benfica repararam nele, o que determinou a sua mudança bem sucedida para a Europa.

A Conquista do Velho Mundo

No momento em que Mário se mudou para o Benfica, a equipa apresentava-se como o grande líder da Primeira Liga, sendo tal facto algo muito bem reconhecido para os adeptos do clube encarnado que já passaram o 1xbet registro e que, atualmente, têm a oportunidade de acompanhar os jogos das “Águias Vermelhas”. Na app, poderás encontrar todas as estatísticas deste clube, as mais recentes notícias, e ainda, um calendário que apresenta os próximos jogos. Poderá aceder em qualquer local onde possa navegar na Internet. Em contraste ao passado, dado que nos anos 60, as notícias só eram transmitidas pelos jornais e pelos indivíduos que tinham a sorte de visitar um jogo ou outro.

O célebre ídolo teve ainda a oportunidade de partilhar o relvado com o legendário Eusébio, tanto na equipa do Benfica, como na seleção nacional portuguesa, tendo conquistado a medalha de Bronze na Copa do Mundo, no ano de 1966, em Inglaterra. A presença de Eusébio não impediu que Mário se tornasse famoso em todo o país, e ainda ganhasse títulos com destaque devido ao seu enorme talento. Seu estilo de jogo colaborou também para um maior êxito do próprio Eusébio. Coluna foi detentor de dez títulos da Liga Portuguesa, seis copas nacionais, e ainda, duas copas da Europa, sendo que nesta última, marcou golos que foram cruciais em ambas as finais, contra o Barcelona, em 1960-61, e ainda contra o Real Madrid Club de Fútbol. É ainda hoje o segundo jogador com mais partidas oficiais realizadas de águia ao peito. Participou de cinco finais europeias. Ele foi considerado o melhor jogador de futebol de português no ano 1964. Marcou 150 golos. Atuou também no Olumpique Lyonnais (França) e foi treinador do Estrela de Portalegre e do Benfica de Huambo (Angola). A 19 de Dezembro de 1966, foi agraciado com a Medalha de Prata da Ordem do Infante D. Henrique. Foi eleito Presidente da Federação Moçambicana de Futebol. Faleceu aos 78 anos de idade.