IP lança concurso para retomar construção de variante em Évora

obras

A Infraestruturas de Portugal (IP) lançou um concurso público para a elaboração do projeto de execução da Variante Nascente a Évora do Itinerário Principal (IP) 2, para retomar uma obra suspensa há cerca de 10 anos.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a empresa pública indicou hoje que o concurso para a elaboração deste projeto, com um preço base de 750 mil euros, foi publicado no passado dia 31 de maio em Diário da República (DR), encontrando-se em fase de receção de propostas.

Contactada pela Lusa, fonte da IP esclareceu que “faz parte do estudo” analisar “a viabilidade” do aproveitamento do traçado e das estruturas construídas no âmbito da empreitada de requalificação do IP2, incluída na então subconcessão Baixo Alentejo.

Durante essa empreitada, que acabou por ser suspensa em 2011, foram desenvolvidos trabalhos de terraplanagem e construídos viadutos, até hoje abandonados.

A construção desta variante é reivindicada por Évora para permitir desviar o trânsito da cidade, cujo centro histórico está classificado como Património Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Segundo o comunicado da IP, a nova via é um investimento que integra as intervenções definidas no âmbito do Plano Nacional de Investimentos 2030 (PNI2030).

O projeto, adiantou, “visa a definição das melhores soluções técnicas tendo como objetivo a melhoria das acessibilidades e segurança rodoviária na zona periurbana e urbana de Évora”.

Com a construção deste lanço do IP2, será criada uma ligação privilegiada Norte – Sul e aos grandes eixos de tráfego internacional, através da ligação à A6, potenciando, desta forma, o desenvolvimento económico da região e a mobilidade de pessoas e bens”, sublinhou.

A empresa precisou que a construção da variante tem “início no Nó de Évora Nascente da A6, imediatamente após a praça de portagem”, e termina “na zona de inserção com o atual IP2, cerca do quilómetro 273, nas proximidades do Monte de Pinheiros”.

De acordo com a IP, o traçado desenvolve-se no território das freguesias de Bacelo e Senhora da Saúde, Nossa Senhora de Machede e Malagueira e Horta das Figueiras, no concelho de Évora.

A futura variante terá uma extensão de cerca de 13 quilómetros, com um perfil de autoestrada, e serão asseguradas as interligações com a rede viária existente através da construção de restabelecimentos e de nós desnivelados, acrescentou.