Investimento de 2M€ em Aljustrel para criar “hotel de charme” em antigo convento

Convento Messejana

Um antigo convento franciscano em ruínas situado em Messejana, no concelho de Aljustrel (Beja), vai ser transformado em “hotel de charme”, num investimento que pode ascender a dois milhões de euros, foi hoje anunciado.

O pedido de licenciamento do projeto de arquitetura para reabilitação do convento de Nossa Senhora da Piedade, em Messejana, já deu entrada na Câmara de Aljustrel e as obras poderão “começar em finais de 2022”, revelou à agência Lusa o promotor do investimento.

Segundo Ricardo Pinho, que já é proprietário de duas pequenas unidades de turismo rural no litoral alentejano, o projeto prevê a criação de “um pequeno hotel de charme, com apenas 10 quartos”, sete no convento e mais três no Monte da Horta do Cabo, também na freguesia de Messejana.

Vai ser um projeto emblemático, pois, vamos consolidar a ruína, mas não reconstruir tudo a 100%. Vamos sim integrar os quartos e as áreas comuns dentro da própria ruína, o que vai ser inovador, em Portugal não há nada deste género”, acrescentou.

O promotor revelou ainda que “a ideia” do projeto é “recuperar” um “património histórico superbonito e superprático”, que será “de luxo” em termos “de espaço e de alma”.

Depois de aprovado o projeto de arquitetura, a futura unidade será candidatada a fundos comunitários e deverá criar “até cinco” novos postos de trabalhos quando entrar em funcionamento, apontou Ricardo Pinho.

Para o presidente da Câmara de Aljustrel, este é um projeto que “tem dois grandes aspetos positivos” para o concelho, a começar pela “recuperação de um património que remonta ao século XVI”.

“A par disso, representa economia e potencia turisticamente a freguesia de Messejana”, disse à Lusa o socialista Nelson Brito, adiantando que o projeto tem sido trabalhado “em conjunto” entre a autarquia, o promotor e a Direção Regional de Cultura do Alentejo desde “há cerca de dois anos”.

Em comunicado, a Câmara de Aljustrel revelou que, após a aprovação do licenciamento do projeto de arquitetura, “mas antes do início do projeto de execução”, está prevista a realização de uma campanha arqueológica no convento, ligado historicamente à Ordem de São Francisco.

Posteriormente, antes do início da obra e, se necessário no decurso da mesma, será realizada uma segunda campanha arqueológica” nos locais “que venham a ser considerados oportunos” e “previamente identificados por uma equipa técnica especializada”, acrescentou a autarquia alentejana.