Instituto Português do Sangue alerta “os níveis baixos de reservas de sangue em Portugal” e apela à dádiva

Dar Sangue

O Instituto Português do Sangue e da Transplantação veio a público, esta semana, alertar para os níveis baixos de reservas de sangue em Portugal.

Segundo o Instituto, “os primeiros indícios de algum desequilíbrio verificaram-se em setembro, tendência que se acentuou nas últimas semanas”, acrescentando que “não só há uma redução das unidades colhidas, em relação ao período homólogo de 2019, como o consumo de componentes sanguíneos tem vindo a aumentar, devido à recuperação da atividade assistencial não urgente nos hospitais. É imprescindível continuar a tratar todos os doentes e para isso é necessário reforçar as reservas de sangue.”

“Dar sangue é um gesto solidário ímpar e que não tem contraindicações para um adulto saudável, sendo que nos locais de colheita foram reforçadas todas as medidas para que este ato se efetue com segurança”, refere o Instituto Português do Sangue.

Assim, apela-se a todos os dadores que há muito que não fazem uma dádiva de sangue ou todos aqueles que preenchem os requisitos, que se dirijam a um local de colheita e façam a sua dádiva

Recordamos que para ser dador de sangue, basta ter entre 18 e 65 anos (o limite de idade para a primeira dádiva é os 60 anos), ter peso igual ou superior a 50 kg e ter hábitos de vida saudável.

Informações sobre a dádiva de sangue e locais/sessões de colheita estão disponíveis em www.ipst.pt .