Instituto Nacional de Estatística revela que a Taxa de Desemprego no Alentejo aumentou no 4º trimestre de 2019

Números do desemprego no Alentejo

Segundo os dados lançados esta quarta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no 4.º trimestre de 2019 a taxa de desemprego foi 6,7%, superior em 0,6 pontos percentuais (p.p.) à do trimestre anterior e igual à do trimestre homólogo de 2018.

De acordo com o INE, população desempregada, estimada em 352,4 mil pessoas, aumentou 9,0% (29,0 mil) em relação ao trimestre anterior e 0,9% (3,3 mil) em relação ao trimestre homólogo de 2018. A população empregada, 4 907,6 mil pessoas, diminuiu 0,8% (40,2 mil) em relação ao trimestre anterior e aumentou 0,5% (24,6 mil) em relação ao homólogo.

Ainda segundo os mesmos dados, em 2019, a taxa de desemprego foi de 6,5%, tendo diminuído 0,5 p.p. relativamente a 2018. A população desempregada, 339,5 mil pessoas, diminuiu 7,2% (26,4 mil) em relação ao ano anterior, enquanto a população empregada, 4 913,1 mil pessoas, aumentou 1,0% (46,4 mil).

Taxas de desemprego por região NUTS II

Analisando as taxas de desemprego por região, no 4.º trimestre de 2019, a taxa de desemprego foi superior à média nacional em todas as regiões do país, com excepção do Centro (5,2%): Região Autónoma dos Açores (7,6%), Alentejo (7,3%), Norte e Área Metropolitana de Lisboa (7,1% em ambas), Região Autónoma da Madeira (7,0%) e Algarve (6,8%).

Em relação ao trimestre anterior, e à semelhança do observado globalmente para Portugal, a taxa de desemprego aumentou em todas as regiões. Os três maiores acréscimos trimestrais foram observados no Algarve (1,5 p.p.), na Área Metropolitana de Lisboa (0,7 p.p.) e no Norte (0,5 p.p.).

Olhando agora para os dados do ano de 2019, apenas a taxa de desemprego da região Centro (4,9%) foi inferior à média nacional. As taxas de desemprego mais elevadas, e superiores à média nacional, foram observadas nas restantes regiões: Região Autónoma dos Açores (7,9%), Área Metropolitana de Lisboa e Algarve (7,1% em ambas as regiões), Região Autónoma da Madeira (7,0%), Alentejo (6,9%) e Norte (6,7%).

Em relação a 2018, a taxa de desemprego diminuiu em todas as regiões, com a excepção do Algarve, onde se verificou um acréscimo de 0,7 p.p.. Os três maiores decréscimos ocorreram na Região Autónoma da Madeira (1,8 p.p.), na Região Autónoma dos Açores e no Centro (0,7 p.p. em ambas as regiões).