Incêndios: Ourique já com helicóptero “pela 1.ª vez” nesta fase do DECIR

Incêndio com meio aéreo
Foto: Arquivo

Um helicóptero bombardeiro médio de combate a fogos já está colocado no Centro de Meios Aéreos de Ourique, o que acontece “pela primeira vez” nesta fase do dispositivo contra incêndios rurais, realçou hoje o autarca.

Marcelo Guerreiro, presidente da Câmara de Ourique, no distrito de Beja, salientou hoje à agência Lusa o facto de, “pela primeira vez”, este meio aéreo “ter começado a operar” no concelho “no primeiro dia” do nível II do dispositivo especial de combate a incêndios rurais (DECIR), ou seja, no passado sábado.

É um importante meio para combate aos incêndios rurais, não só no concelho de Ourique, mas na região”, acrescentou.

Os meios de combate aos incêndios rurais foram reforçados desde sábado, passando a estar no terreno 8.537 operacionais, 1.940 viaturas e 37 meios aéreos.

A Diretiva Operacional Nacional (DON), que estabelece o DECIR para 2021, indica que, desde sábado e até dia 31 deste mês, o reforço de meios se situa no “nível II”, o primeiro aumento adicional do ano.

Durante este período, vão estar disponíveis 8.537 operacionais que integram as 1.966 equipas e 1.940 viaturas dos vários agentes presentes no terreno, além dos meios aéreos, que serão no máximo 37.

O presidente da Câmara de Ourique assinalou, igualmente, que o helicóptero instalado este ano em Ourique é maior do que o dos anos anteriores, que era um ligeiro.

Este helicóptero bombardeiro médio possibilita, agora, o transporte de uma brigada de oito elementos da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR.

Ou seja, este helicóptero permite levar mais meios humanos para o teatro de operações”, vincou, afirmando esperar que esta época de incêndios rurais passe sem problemas de maior no território.

Nesse sentido, revelou, o município realizou trabalhos de limpeza de terrenos no concelho, “em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas”.

“Sobretudo na freguesia de Santana da Serra, que é aquela que apresenta maior índice de risco” de incêndio, adiantou.

Em simultâneo, a autarquia investiu 17.500 euros “na melhoria das condições operacionais e de apoio às operações” do Centro de Meios Aéreos de Ourique.

As obras consistiram “na pintura interior, na pintura exterior, na instalação de uma nova cobertura, de novas aduelas e portas, e nos WC”, concluiu Marcelo Guerreiro.