Segunda-feira, Janeiro 30, 2023
Pub

Incêndios: Cerca de 50 concelhos do interior Norte e Centro, Alto Alentejo e Algarve em risco máximo

- Publicidade -
- Publicidade -

Cerca de 50 concelhos dos interior Norte e Centro, Alto Alentejo e Algarve estão hoje em risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com a informação disponível no ‘site’ do IPMA, os concelhos em risco máximo pertencem aos distritos de Bragança, Guarda, Castelo Branco, Leiria, Coimbra, Santarém, Portalegre e Faro.

O IPMA colocou ainda em risco muito elevado e elevado mais de 160 municípios do interior Norte e Centro do país, do litoral dos distritos de Aveiro, Leiria e Lisboa, assim como toda a região do Alentejo.

O risco de incêndio, determinado pelo IPMA, tem cinco níveis, que vão de ‘reduzido’ a ‘máximo’, e os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Para hoje, as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera apontam para céu pouco nublado ou limpo, com mais nebulosidade no Norte e Centro até ao meio da tarde, e possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos no Norte e Centro.

O IPMA indica ainda que o vento vai soprar forte no litoral oeste e nas terras altas, com rajadas até 65-70 km/h.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 10 graus Celsius (Guarda) e os 18º (Aveiro), e as máximas entre os 21º (Aveiro) e os 30º (Faro e Castelo Branco).

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

As mais vistas

- Publicidade -

Mais notícias

Secretário de Estado do Turismo reúne com agentes turísticos em Évora

O Secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Nuno Fazenda, inicia, esta terça-feira um périplo pelo Interior para ouvir e debater com os...

Évora: Em 6 dias, GNR deteve 11 pessoas e multou 404 condutores

Como vem sendo habitual, o Comando Territorial de Évora da GNR deu a conhecer o resultado das operações realizadas no distrito de Évora, na semana de...

Professores manifestaram-se em Estremoz