IEFP investe mais de 1,5M€ para formação industrial e aeronáutica em Ponte de Sor

IEFP em Ponte de Sor

O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) vai investir mais de 1,5 milhões de euros em Ponte de Sor (Portalegre) para formar trabalhadores na área industrial e no setor ligado à aeronáutica, foi hoje revelado.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Câmara de Ponte de Sor divulgou que, esta terça-feira, às 11:00, vai ser assinado um protocolo com o IEFP para a cedência do espaço onde será criado este novo polo de aprendizagens.

A Secção de Formação Profissional para o setor Industrial e cluster da Aeronáutica do IEFP vai ficar instalada no novo Centro Empresarial e Tecnológico daquela cidade alentejana, nas antigas instalações de uma fábrica já desativada, onde vai decorrer a assinatura do acordo.

O delegado regional do Alentejo do IEFP, Arnaldo Freire, citado pelo município, disse que o protocolo deve-se ao “crescimento contínuo” e ao “investimento expectável para o setor da indústria em geral e do ‘cluster’ da aeronáutica em particular”.

O acordo permite “expandir a oferta formativa, tanto quantitativa como qualitativamente” naquela sub-região alentejana, acrescentou.

No novo centro vai ser ministrada formação profissional em produção e transformação de compósitos, maquinação/programação CNC, montagem de estruturas e em áreas ligadas à manutenção de aeronaves e de material de voo.

Arnaldo Freire indicou ainda que, no âmbito do protocolo, a nova área de formação a criar vai ocupar “cerca de 700 metros quadrados”, em instalações municipais.

“O investimento a realizar pelo IEFP em Ponte de Sor, em máquinas e equipamentos para o aumento da oferta formativa e operacionalização das ações de formação, ultrapassa 1,5 milhões de euros, que acrescem ao investimento já realizado” pelo IEFP neste concelho e no distrito de Portalegre, frisou o responsável.

Quanto presidente da câmara, Hugo Hilário, considerou que, para o desenvolvimento do ‘cluster’ aeronáutico no concelho, é preciso “ultrapassar as dificuldades de recursos humanos especializados, uma das principais exigências deste setor”.

“A criação deste ‘cluster’ obriga-nos agora a alimentá-lo e a envidar todos os esforços para dar condições à indústria” e, graças ao projeto com o IEF, será possível “dar importantes passos para dotar as empresas que aqui se fixam de mais e melhores recursos”, salientou.

Para o município, o aumento da oferta de formação profissional contribuirá para o crescimento das empresas e para melhorar a atratividade económica de Ponte de Sor e da região.

“Institui uma dinâmica de projeção da região do Alentejo, de fixação de novas famílias, de crescimento demográfico, criando a perceção de um local de novas oportunidades. Por outro lado, a formação profissional aumenta drasticamente a competitividade das nossas empresas”, argumentou.

A localização deste centro de formação é “outro fator relevante” para o município, já que permitirá “criar uma dinâmica” no novo Centro Empresarial e Tecnológico de Ponte de Sor, “facilitando” desta forma a incubação de empresas de base tecnológica e de ‘start-ups’.

“Esta é ainda uma forma de se transferir conhecimento e tecnologia para a economia real”, através do “envolvimento de centros de formação, instituições de ensino superior universitário e politécnico e centros/laboratórios de investigação aplicada” acrescentou a câmara municipal.