“Há muito que esperávamos este dia e finalmente chegou”, diz comandante dos Bombeiros de Vila Viçosa (c/fotos)

Bombeiros de Vila Viçosa

Na passada quinta-feira, 11 de fevereiro, iniciou-se a vacinação contra a Covid-19 de 15 mil bombeiros a nível nacional.

Também na passada semana já dezenas de bombeiros foram vacinados no distrito de Portalegre e Beja, sendo que esta segunda-feira será a vez dos Bombeiros do distrito de Évora serem vacinados.

Recorde-se que, segundo os dados do Ministério da Administração Interna, nesta 1ª fase serão vacinados 358 bombeiros no distrito de Beja, 326 no de Évora e 388 no distrito de Portalegre.

No distrito de Évora, esta segunda-feira serão vacinados 50% dos Bombeiros, relativamente ao número que estava previsto de forma a conciliar possíveis efeitos secundários e a manutenção da operacionalidade dos quarteis. No distrito existem 4 pontos de vacinação dos Bombeiros.

No centro de saúde de Alandroal, esta segunda-feira são vacinados os operacionais dos Bombeiros de Vila Viçosa, Alandroal e Borba.

ODigital esteve presente num dos pontos de vacinação existente no distrito, nomeadamente no Centro de Saúde de Alandroal, onde acompanhou a vacinação e falou com o Comandante dos Bombeiros de Vila Viçosa, Nuno Pinheiro, que estava satisfeito com o início da vacinação dizendo que “há muito que esperávamos este dia e finalmente chegou, porque somos nós que temos o primeiro contato com os doentes e já merecíamos este momento.”

Nuno Pinheiro refere que agora “vai ter de haver uma organização no Corpo de Bombeiros para distribuir os serviços, pois vamos ter um grupo de Bombeiros vacinado e outro ainda por vacinar, mas vamos tentar conciliar tudo”.

O Comandante dos Bombeiros de Vila Viçosa destacou o fato de “os operacionais sentirem a partir de agora alguma confiança para executar os serviços”, pois “até aqui, durante este ano de pandemia trabalhámos com a máxima preocupação, no vestir, no despir dos fatos e depois quando chegam a casa a preocupação aumentava para protegerem as famílias e assim vacinados, tudo será mais fácil, mas sem baixarmos os níveis de segurança”.

Questionado se todos os operacionais tinham aceitado receber a vacina, Nuno Pinheiro afirmou que “a adesão foi de 100%, até porque é algo desejado há algum tempo e então todos aderiram”, explicando que “na região tivemos uma estratégia de vacinar metade da metade que está prevista, ou seja, vacinar 25% numa semana e 25% noutra, para não comprometermos a operacionalidade da corporação, caso haja algum efeito secundário”.

Fique de seguida com algumas imagens deste momento da vacinação: