GNR e Univ. de Évora assinam protocolo para “valorizar o território” e defender o património (c/fotos)

GNR de Évora

A Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Universidade de Évora (UE), assinaram, esta terça-feira, um protocolo que visa a associação daquela instituição de Ensino Superior ao projeto GUARD & GUIDE.

A assinatura ocorreu no Salão Nobre do Comando Territorial de Évora, com a presença da Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, do Comandante do Comando Territorial de Évora, coronel Joaquim Vivas, e da Diretora da Direção Regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira.

O projeto GUARD & GUIDE, desenvolvido no âmbito de uma parceria estabelecida entre o Comando Territorial de Évora e a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), tem como objetivo garantir a articulação direta com todas as autarquias do distrito, tendo em vista a concretização de três ações, nomeadamente a criação de uma imagem de marca associando a Guarda Nacional Republicana à valorização do património e dos recursos endógenos do Distrito de Évora; a edição de 14 publicações bilíngue, servindo de suporte aos militares no terreno na sua relação com os cidadãos em geral e com os turistas em particular; e também a criação e implementação de um programa formativo, protocolado entre a GNR e a Universidade de Évora, prevendo o envolvimento de Professores da Instituição nas áreas da História, Património, Arqueologia e Ambiente, e abrangendo um grupo de militares da GNR que possam, desta forma, familiarizar-se de modo mais próximo com os pontos mais emblemáticos dos concelhos do distrito.

Para Ana Costa Freitas, Reitora da Universidade de Évora, “esta colaboração é bastante interessante na área da arqueologia”, porque “a formação nesta área é fundamental para toda a sociedade”, até porque “o Alentejo é um sítio onde fazemos um buraco e aparece algo arqueológico” e há que “haver consciência disso” e “só se consegue ter uma consciência cívica em relação à proteção do património com mais educação e conhecimento”.

 Por sua vez, o Comandante do Comando Territorial de Évora, coronel Joaquim Vivas, salientou “atualmente a formação profissional da GNR é feita por competências, porque entendemos que um Guarda quando chega a um posto tem de ter as competências necessárias para lidar com o que são os programas internos e com a forma de estar na GNR”.

Explica ainda o coronel Joaquim Vivas que, este “projeto tem a ver com aquilo que é o destino”, ou seja, “a Guarda assume-se como um pilar decisório fundamental ao nível do turismo, ao novel de quem nos visita, ao nível do estar em segurança neste território”.

“Este tipo de programa vem também mostrar que queremos estar mais ativos no sentimento de segurança que transmitimos às populações”, salientou ainda o Comandante do Comando Territorial de Évora da GNR.

Ainda sobre o projeto GUARD & GUIDE, o coronel Joaquim Vivas indica que é “um projeto para valorizar o território, para divulgar e otimizar o usufruto do património na vertente histórico-cultural e na vertente natural rural e assenta na estratégia da Guarda”. Fique de seguida com as imagens desta cerimónia, numa reportagem de Hugo Calado: