GNR detetou mais de uma dezena de casos de campismo ou caravanismo ilegal no Litoral Alentejano

Campismo ilegal

A Guarda Nacional Republicana, através do Destacamento Territorial de Grândola e do Destacamento Territorial de Santiago do Cacém, voltou a realizar uma ação de fiscalização no Litoral Alentejano, incidindo no caravanismo e no campismo ilegal.

Esta ação decorreu entre os dias 16 e 25 de agosto, realizou uma operação de fiscalização direcionada ao caravanismo e campismo ilegal, nas localidades de Melides, Carvalhal, Comporta, Troia, bem como nas áreas protegidas do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e da Reserva Natural das Lagoas de Santo André e Sancha.

Segundo a GNR, “no decorrer da ação foram identificadas 17 pessoas pela prática de infrações relacionadas com o campismo e caravanismo ilegal.”

Refere ao campismo e caravanismo ilegal ou irregular em área protegida pode conduzir a uma ocupação excessiva e desordenada de espaços públicos, zonas costeiras e áreas classificadas por autocaravanas e similares, com consequências negativas na paisagem, no ambiente, no ordenamento do território e na saúde pública.”

A ação contou com o reforço da Unidade de Controlo Costeiro (UCC).