GNR apanhou, em Mora, mulher de 68 anos com covid-19 que desrespeitou confinamento obrigatório

Militares da GNR

A Guarda Nacional Republicana, através do Posto Territorial de Mora, no passado dia 18 de agosto, identificou uma mulher de 68 anos de idade, por não respeitar a medida de confinamento obrigatório que lhe foi decretada pela autoridade de saúde pública, no concelho de Mora.

Tendo em conta o aumento de novos casos de cidadãos que testaram positivo à COVID-19 ocorrido nos últimos dias no concelho de Mora, os militares da Guarda realizaram uma ação de vigilância das pessoas que se encontram confinadas por ordem da autoridade de saúde de forma a assegurar o cumprimento previsto no regime da situação de contingência e alerta.

Entre as medidas definidas na referida resolução, mantém-se a obrigação de confinamento obrigatório em estabelecimento de saúde, no respetivo domicílio ou noutro local definido pelas autoridades de saúde para todos os doentes com COVID-19, ou infetados com SARS-CoV-2, e para os cidadãos relativamente a quem a autoridade de saúde ou outros profissionais de saúde tenham determinado vigilância ativa.

Neste sentido, a GNR detetou que a cidadã optou opor se ausentar do seu domicílio, tendo sido identificada, encaminhada para a sua residência e os factos comunicados ao Tribunal Judicial de Évora.