Foram observadas em Beja “células convectivas apresentando um grau moderado de organização”, diz IPMA

Mau tempo em Beja

Como noticiámos, a cidade de Beja foi, esta sexta-feira, fustigada por um forte temporal que deixou um rasto de destruição.

Este temporal provocou a queda de centenas de árvores, danos em automóveis e ainda danos numa escola da cidade e também no Regimento de Infantaria.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera “durante a manhã desta sexta-feira foram observadas pela rede de radares meteorológicos, em diversas zonas do continente (entre essas Beja e Palmela, em que foram reportados impactos em estruturas e árvores relacionadas com vento forte), células convectivas apresentando um grau moderado de organização”, acrescentando ainda que “foi observada a presença de rotação organizada e duradoura, a níveis médios e baixos, sugestiva da presença de mesociclone, o que é típico de super-células.”

O IPMA refere que “neste contexto, em que as condições de wind shear na camada baixa não eram muito favoráveis à ocorrência de tornados fortes, é ainda assim possível a ocorrência de fenómenos do tipo tornado”, salientando ainda que “outro tipo de fenómenos de vento forte, podem, entretanto, estar associadas a este tipo de perturbações atmosféricas.”

O Instituto conclui dizendo que “só uma análise mais detalhada das situações (visita aos locais ou interpretação de elementos documentais fidedignos, conforme documentado em filme já disponível para o caso de Palmela) irá permitir uma classificação inequívoca do tipo de fenómeno.”